segunda-feira 29 de outubro de 2018

E aí, vai de berçário?

Categoria(s):

Seu filho nasce, você curte até onde pode e… é hora de voltar ao trabalho! Alguma estrutura você precisa montar para esse filhote na sua ausência e o que antes o mais comum era deixar com uma babá em casa, isso começa a ceder espaço para os berçários. Quer entender porquê?

Diferentemente da noção de “creche” que toda mãe (e pai) normalmente tem, os berçários mais modernos hoje não são mais meros abrigos de bebês, onde eles comem, dormem, brincam e trocam fraldas. Muitos espaços são escolas de educação infantil e ensino fundamental que já recebem bebês e trabalham com atividades pedagógicas mesmo. Parece brincadeira, né? Mas não é não.

“Valorizamos o desenvolvimento de cada bebê e suas conquistas diárias. Supervisionamos a projeção da energia deles em forma de criatividade, aliada ao desenvolvimento das múltiplas inteligências, fazendo evoluir individualmente cada um, percebendo suas necessidades pedagógicas, emocionais e físicas”, conta Ana Cláudia Porpino, diretora da escola Meu Caminhar, no bairro de Boa Viagem, no Recife.

Falou difícil ela, não foi? Pois é, a verdade é que os estímulos aos bebês hoje em dia vão muito além dos que nós recebíamos enquanto crianças. Hoje os grandes berçários ensinam valores, responsabilidade, humildade, vida em sociedade, além de conteúdos como lógico-matemática, linguagens, natureza & sociedade e música.

E não é a toa. Essas escolas sabem que os pais estão deixando ali seus maiores valores. Por isso muitas também trabalham a afetividade. “Esse é um dos nosso diferenciais, porque acreditamos que em um ambiente que a criança se sente amada, respeitada e valorizada, é um ambiente no qual ela se desenvolve com saúde”, completa Ana, à frente da escola que já tem 13 anos de história.

Quando tive meu primeiro filho, há cinco anos, tive muitas dúvidas sobre colocar ou não no berçário. Fiz uma longa pesquisa, visitei todos eles, conversei com várias mães que tinham filhos em berçários,… E depois entendi que estava fazendo o melhor por ele. Nunca me arrependi. O desenvolvimento dele foi incrível, tanto na parte física, com os estímulos de motricidade, quando no social.

Agora, com meu segundo bebê, é claro que ele seguiria os mesmos passos do irmão. Mas como hoje moro do outro lado da cidade, voltei a fazer a mesma pesquisa. E só fechei naquela que senti confiança para tudo o que vejo como primordial para meu pequeno (ah, e isso inclui também muito carinho e denguinho das babás).

Enfim, se você tem um bebê e está pensando sobre isso, saiba que vai ouvir muita gente dizendo “Faça isso não… No berçário? Coitadinho…”. Mas lembre-se que essas pessoas também não conhece os novos berçários e não imaginam o bem que eles podem fazer aos nossos pequenos. Estude, pesquise, vá fazer uma visita. E, depois que fechar com algum deles, vá trabalhar em paz. <3

Faça um Comentário

    Topo