segunda-feira 21 de maio de 2018

Como é mais conveniente

Categoria(s):

Sim, mamãe. Você já aprendeu com o primogênito. Já sabe o que dá trabalho e o que não vale a pena repetir. A gente sabe que colocar o bebê pra dormir balançando no braço cansa, mas sabe que ele só dorme se for assim, não é? Errado. Isso é quando você está tão cansada que não tem nem paciência pra tentar outras formas. Ou quando você nunca foi mãe antes e acha que precisa ser assim. O que a gente tem que ter aprendido muito bem com o primeiro filho é o seguinte: eles vão sempre tentar da maneira deles. Cabe a você não ceder de jeito nenhum e mostrar como deve ser.

Para mim, é mais conveniente colocar para dormir no meu colo enquanto estou sentada, lógico – a coluna agradece! Estou fazendo isso com meu segundo filho. Ele sempre chorou, parando somente quando levanto. Opa, nada disso. O choro não é de fome nem de dor. Ele só está dizendo que quer que eu me levante. Nada disso, ficarei sentada. Ele choramingou, mas com alguns dias acostumou. Agora consigo dar uma caminhada de dois minutos com  ele no braço e depois sento. Ele dorme! Ele entendeu que não vou ceder. Simples assim? Sim, mamãe, é simples assim.

Os bebês – assim como as crianças em geral – estão sempre nos testando. Sempre. Vão até onde podem para ver o quanto cedemos. Se o seu “não” é do tipo que não volta atrás, parabéns! Seu filho vai parar de fazer birra com pouquíssimo tempo. Os bebês, idem. Não que eles façam birra. Os bebês não têm idade para isso ainda, mas estão sempre procurando o que é mais agradável, ou o que estão acostumados. Quando estava em sua barriga, seu filho se acostumou com o balancinho enquanto você andava o dia todo. Cabe a você, depois que ele nasce, desacostumar isso.

Mas é claro que outras estratégias podem ser usadas. Eu não simplesmente sento no sofá e coloco meu bebê para dormir. Faço todo um ritual que é importantíssimo para a tranquilidade dele – falo mais sobre isso ainda essa semana, prometo!! -, amamentando, dando um banho e depois colocando pra dormir.

Aprendi também com o primeiro filho que não vale a pena amamentar e, logo em seguida, colocar para dormir. Vi que ele associou a mamada ao sono e passou a querer mamar para poder dormir. Isso me deixou refém dele, já que nenhuma outra pessoa pode amamentá-lo no peito. Com Felipe, meu segundo filhote, eu amamento antes e depois dou um banho. Ele já sai do banho bocejando, ou seja, associou o banho ao sono, e não a mamada, entende?

Também percebi que não é válido pegar logo o bebê assim que resmunga no berço. Com o primeiro, Eduardo, eu corria no primeiro barulhinho. Agora eu espero ele reclamar mesmo. Com isso percebi inclusive que muitas vezes ele está acordando e sequer chama. Fica um tempão lá no berço. Isso te faz ganhar mais um tempo de descanso! 🙂

Enfim, se você tem ou está prestes a ter o segundo ou terceiro filho, lembre-se que não precisa – muitas vezes nem deve – fazer tudo igual, tá? Pare pra pensar no que não valeu a pena com o primeiro filho para não repetir no segundo. E se alguma coisa deu certo, por que mudar? Vai lá e repete! Você já não é mãe de primeira viagem. Cabe a você mostrar isso a seu bebê!

2 Comentários

  • Katarina Pitombeira

    Nossa, parecia que eu tinha escrito esse post. Lembro do choramingo de Helô pq queria ser ninada em pé. E eu a enchia de carinho, mas sentada na poltrona de balanço. Uma das coisas que já mudei como aprendizado do primeiro foi tirar o leite da noite. Na idade dela já estamos dando jantar, banho, escova “todos os quatro dentes” dela e soninho. Essa experiência é valida demais. Beijão pra você

    • Sarah Eleutério

      Que massa, Kata! Pois é, a gente precisa ser esperta, afinal alguma coisa a gente aprendeu com o primeiro, né? Bjo!

Faça um Comentário

    Topo