sexta-feira 10 de Fevereiro de 2017

Cresce rápido demais!

Categoria(s): , , , , ,

Essa semana eu coloquei meu filhote dormindo na cama e quando fui cobri-lo percebi como está grande! Lembro de quando ele tinha metade do tamanho que tem hoje. Menos que isso, aliás. E bateu uma vontade de chorar. Não de tristeza e nem tanto de saudade, só de emoção mesmo. Meu bebê tá crescendo. Nessas horas a pergunta que você deve se fazer é “Eu estou sabendo curtir e aproveitar cada momento com meu filho?”.

A lágrima que escorreu no meu rosto não foi de tristeza porque minha resposta é “sim! Estou curtindo cada ano, cada dia, cada segundo do meu pequeno”. Eu penso nisso sempre, principalmente quando estou com preguiça no sofá, mas que não dura meia hora “Vamos para o parque!”, eu digo. E que pode ser praia, casa dos amigos, descer para andar de bicicleta, enfim, qualquer passeio com criança. Percebo que curto meu filho quando ele diz “Mamãe, posso brincar com a tinta?” e, ao invés de optar pelo comodismo de não ter que limpar tudo depois, eu prontamente levo tudo para a varanda e sento com ele para pintar.

Não, não sou “a mãe perfeita” e também tenho meus momentos de estresse, cansaço e falta de paciência. Na verdade, cada mãe sabe como lidar com seus filhos e com a rotina, que para muitas pode ser bem pesada. Mas colocar meu filhote em primeiro plano, à frente do meu cansaço é opção mesmo. Cansa mais? Cansa. Não recuso uma festinha, não deixo nenhuma programação infantil fora da minha agenda, mas é opção, sim. O sorriso dele paga. A alegria de ter tido um dia maravilhoso me tira qualquer vontade de ter ficado no sofá.

Daqui a pouco ele tem cinco anos, tem dez anos, tem quinze. Daqui a pouco vira um rapaz. Daqui a pouco – talvez bem pouco mesmo kkkkk – ele passe do meu tamanho e passe a calçar o dobro do número do meu pé. Quero olhar para trás e dizer “Curti cada momento”. Me assusta um pouco o receio de sentir a nostalgia lá na frente por ele ter crescido rápido demais e eu sequer ter percebido. Conversei sobre isso com uma amiga recentemente. O seu filho chegou aos 15 anos, engrossou a voz, não brinca mais como criança e ela tomou um susto: “Foi muito rápido! Ninguém me avisou que seria assim…”, lamentou.

Pois é, ninguém avisa. Ninguém nos avisa sobre muitas coisas quando nos tornamos mães. A gente dá conta de acordar de madrugada – ou melhor, a gente nem dorme -, dá conta de ficar toda dolorida do parto, com os seios rachados pela amamentação, a gente dá conta de fazer comida, arrumar a bolsa da escola, comprar a fralda que tá faltando, limpar cocô de menino, arrumar a bagunça da casa… E ainda precisa arrumar tempo para abrir os olhos e perceber que esse tempo tá passando. Rápido demais. E que o filhote tá crescendo. Rápido demais.

Não quero tomar esse susto. Por isso optei por pensar nisso todos os dias, enxergar meu filho todos os dias, dedicar um tempo a ele todos os dias. E quando falo tempo não é fazendo seu café da manhã, mas colocando no colo para ele tomar a vitamina, é brincando no chão mesmo depois de um dia inteiro de trabalho. Optei por curtir meu bebê, que de bebê já não tem nada.

E então, quando vejo meu filho deitado na cama, com quase o triplo do tamanho que tinha quando nasceu, lembro dos momentos de brincadeira, de sair para a praia, de sentar no chão para pintar e de todos os passeios que poderiam não ter existido por preguiça no sofá mas que eu não abri mão e penso: “Estou curtindo, sim! Cada minuto. Que venham outras fases”.

4 Comentários

  • Katarina Pitombeira

    Sarah, texto perfeito!

    Com a gestação atual me vejo extremamente cansada e indisposta como nunca estive. É normal na gravidez, mas ele não tem que entender isso. Ontem ele me pediu pra brincar e eu disse: Amor, hoje mamãe está tão cansada! Me dei conta que era 21h e eu ainda estava com a roupa do trabalho. Indisposição é meu nome!

    Mas ele pediu ao menos que eu dormisse com ele e eu propus uma dormida na sala, com muitas almofadas e sem pressa pra dormir. Ele fazia carinho em mim e eu nele enquanto conversávamos. Em um momento vi que ele parou de responder…Dormiu! E nessa hora eu pedi desculpas a ele por estar tão cansada ultimamente. Culpa de mãe pesa o dobro!

    Obrigada pelo post de hoje.
    Beijos.

    • Sarah Eleutério

      É difícil, né, Kata? Mas acho que vc não tem que se culpar não, viu? Não deve!! Tudo bem que seu filho tem as necessidades dele, mas você também tem as suas, seus momentos. Você não “é” cansada, você “está”. E está grávida. Não é fácil. Tente ao máximo aproveitar os momentos com ele, mas não vá além de suas possibilidades. Pensei um pouco em você também e nesse filhote que vem por aí. Beijos para a família linda! 🙂

  • Alessandra Raposo

    Amei o texto. Tenho a mesma sensação: estou podendo curtir cada momento.

  • Virtual Private Servers

    Aprende que nem sempre e suficiente ser perdoado por alguem; algumas vezes voce tem que aprender a perdoar-se a si mesmo. Aprende que o tempo nao e algo que possa voltar para tras, portanto, plante seu jardim e decore sua alma ao inves de esperar que alguem lhe traga flores, e voce aprende que realmente pode suportar.

Faça um Comentário

    Topo