quarta-feira 07 de dezembro de 2016

Metacognição. Já ouviu falar nisso?

Categoria(s): ,

babymel2_editada

A aprendizagem sobre aprendizagem. Ou ainda a apropriação e comando dos recursos internos se relacionando com os objetos externos. Que danado é isso? Parece difícil, mas basta entender que se trata do auto monitoramento do ato de aprender. Ou seja, quando falamos de criança, é ela se descobrindo sozinha e se desenvolvendo. O assunto tem nome: metacognição, conceito já trabalhado em algumas escolas.

A metacognição é a consciência de si próprio no processo de aprender. Os aspectos de cognição estimulam a confiança, o afeto e a autoestima. Isso porque aprender não é a mesma coisa que compreender. O aprendizado provoca mudanças de comportamento, gera reflexão sobre o próprio fazer pedagógico e faz do aprender um ato prazeroso.

“Trabalhar a metacognição é fundamental para um bom resultado no processo de aprendizagem. Educamos e auxiliamos no desenvolvimento de nossos alunos na certeza de constituir metas bem determinantes para a construção dos conhecimentos que sejam favoráveis ao processo de evolução cognitivo, quando os estudos comprovam a capacidade neurológica da criança nessa faixa etária”, explica a psicopedagoga Lídia Loreto, diretora da escola Baby Mel, na Zona Sul do Recife, lembrando que desta forma é possível realizar um trabalho que possa desenvolver a metacognição.

Quando a gente deixa o filho pequenininho na escola não imagina quanta coisa é trabalhada, não é verdade? Muitas mamães pensam que é só uma questão de realizar atividades de pintura, aprender as vogais, as cores e, para aqueles que se informam um pouco mais e sabem que as escolas vão além, entra o trabalho com a motricidade. Mas poucos pais devem imaginar que tem muito mais caroço nesse angu. A metacognição é importante para que a criança se conheça e entenda melhor na prática educativa, buscando a superação e as limitações no ato de aprender. E isso inclui a relação que se estabelece entre quem ensina e quem aprende.

“Acredita-se que, quando a criança toma consciência e adquire o controle sobre sua aprendizagem, ela pode chegar a melhores resultados. Assim como, quando o processor utiliza o ensino estratégico, conhecendo a dinâmica das estratégias metacognitivas, pode eleger com mais cuidado os conteúdos que serão trabalhados”, complementa.

Ao tomar consciência e adquirir controle sobre sua aprendizagem, acreditase que o aluno possa chegar a melhores e mais significativos resultados em seu trabalho acadêmico. E o professor, utilizando-se do ensino estratégico, ao conhecer a dinâmica das estratégias metacognitivas no contexto da atividade pedagógica, poderá eleger, com mais cuidado e responsabilidade ética, os conteúdos a serem trabalhados.

A Baby Mel começou suas atividades há 24 anos só com o berçário, trabalhando com crianças de até 2 anos de idade. “A necessidade da ampliação surgiu com o envolvimento das famílias, um grande estímulo para abrirmos a escola”, conta Lídia. A metacognição será bastante absorvida agora na ampliação das turmas oferecidas, já que a escola, que é uma referência na educação na primeira infância, está crescendo e implantando o segundo turno, como integral.

2 Comentários

  • LASARA

    Bacana demais. Tem aqui em Ribeirão das Neves? Minas Gerais

    • Sarah Eleutério

      Metacognição é uma metodologia, flor. Procure saber se isso é realizado nas escolas da sua cidade. Não é nada difícil de se encontrar não. Bjo!

Faça um Comentário

    Topo