sexta-feira 04 de novembro de 2016

Criatividade para comer bem

Categoria(s):

img_6948

Seria ótimo se antes de ser mãe a mulher pudesse fazer um curso. Não necessariamente de maternidade, mas de criatividade. Quem tem criança sabe do que estou falando. Às vezes é preciso um malabarismo danado pra convencê-la a tomar banho, fazer a tarefa, arrumar a bagunça e – talvez, a pior parte – comer! Ai, tem horas que é fogo! E, para que o filho coma tudinho e tenha uma alimentação saudável, toda estratégia é válida.

Dia desses, meu filhote não queria tomar toda a vitamina que sempre toma pela manhã. Não por ter enjoado ou estar sem fome, mas porque queria brincar. Então, eu fiz do momento de tomar o leitinho uma diversão: peguei uma caixa de embalagem de brinquedo – dessas de papelão mesmo, mas num formato comprido e estreito –, coloquei o copo dentro, fiz um furo para passar o canudo e… foi uma festa! Por quase um mês ele pediu o leitinho na “caixinha mágica” todos os dias. Outra que deu muito certo foi imprimir um avião e colar na colher. Sabe aquilo de “olha o aviãozinho”? Ele adorou!

Não que a hora de comer tenha que ser com menos disciplina, mamãe. Mas quando a criança é muito pequena, o lúdico faz parte das “obrigações”. Lá em casa não tem essa de o filho escolher se vai almoçar ou comer chocolate. Bem, o chocolate pode até ser permitido, em alguns momentos, mas só depois do almoço. É regra: primeiro se alimenta e depois pode lanchar. Mas não é por isso que o almoço precisa ser chato. Eu confesso que tenho a sorte de meu filhote gostar de comer, e comer bem. Ama todas as verduras, mas isso é uma junção de várias coisas, como: estimular desde novinho, ser exemplo em casa, também comendo verduras e até o paladar da criança é uma variável. Mas quando o filhote dá trabalho pra comer, a dica é levar aquele momento lúdico ao prato. Vale colocar duas passas no arroz como se fossem os olhos da comida, vale simular o aviãozinho, vale usar a banana no prato como se ela fosse uma boca e duas uvas para simularem os olhos.

Vale até usar o personagem preferido como referência. Por exemplo: já pensou em cortar a banana no meio (ainda com casca) formando dois pedaços e desenhar na casca a roupa e os olhinhos dos Minions? A tapioca pode ser cortada no formato do rosto da Hello Kitty e aí você usa outros elementos para fazer os olhos, o nariz e o lacinho. Também está valendo dizer que o brócolis é a comida preferida do homem aranha. Ou seja, toda criatividade serve para a comida ficar divertida e atrair a criançada.

Mas todo mundo sabe que não é fácil. Por mais que você construa um helicóptero, não há garantia nenhuma de que seu filho abrirá a boca. E quando não é você quem está no controle, ou seja, quando a alimentação é na escola, pode ser ainda mais difícil. Isso mesmo, estamos falando de “lanche compartilhado”. Por mais que você encha a lancherinha de seu pequeno com frutas e alimentos inofensivos à saúde, o biscoito recheado do colega será sempre mais gostoso. Dica, mamãe: faça os “bonequinhos” de comida para ele levar. Toda aquela criatividade pode ir na lancheira e será não só atrativo para seu filho como para os amiguinhos, que acharão seu lanche “super legal”.

E, na boa: quando você vai a um restaurante, não enche mais seus olhos um prato bem elaborado, com direito a uma folhinha em cima do filé e um risco no prato feito com o molho? Por que você acha que seu filho vai se encantar com um monte de comida misturada, sem a menor beleza? É isso mesmo, tem que ser “chefe de cozinha” e elaborar os pratinhos do seu pequeno. E se você não tem tanta criatividade para fazer os alimentos criarem vida, vai na internet, procura por lanches criativos. Não vai faltar ideia para você oferecer o que tem de melhor para seu filhote. E, para aqueles que não suportam verdura, quem sabe assim eles não acabam mudando o paladar? O que vale é comer, comer bem e comer feliz.

Faça um Comentário

    Topo