quinta-feira 13 de outubro de 2016

Livro mostra como tirar a chupeta

Categoria(s):

tatisotero

Toda mãe sabe que chupeta é prejudicial à saúde bucal e desenvolvimento da criança. Sabe que pode atrapalhar a amamentação, estragar os dentes e prejudicar a fala. Sim, a gente sabe de tudo isso. Mas, na real, tem horas que a chupeta é um santo remédio para o sossego dos pequenos e, como consequência, o nosso também! No entanto, chega uma hora em que é inevitável ter que tirar essa preciosidade. A pergunta é: como fazer isso sem traumas.

“Eu comprei uma caixinha, tinta, adesivos e fitas e personalizei, junto com minha filha, a caixa onde colocaríamos todas e entregaríamos à ‘fada das chupetas’ em troca de uma boneca”. Foi a saída encontrada pela jornalista Tatiana Sotero, que acaba de escrever sua experiência com a filha Nanda em um livro que é uma verdadeira assessoria para os pais. Mas para fugir da “fada”, já bem batida nas histórias infantis, Tatiana, junto com o cartunista Jarbas Domingos, resolveu criar um personagem novo e assim surgiu “Pipo: o troca-chupetas”.

Tatiana conta que não esperava ser tão simples a mudança, mas a adaptação aconteceu aos poucos. “Combinei com ela de usar as chupetas para dormir quando completou dois anos. E, quando fizesse três, já seria uma menina grande e não precisaria mais chupar chupeta. Optei por retirar nesta idade já que os odontopediatras afirmam que até os 3 anos de idade os danos causados à dentição pelas chupetas são reversíveis”, explica.

Bem ao estilo “Mãe na Real”, Tatina Sotero sabe o que é “paciência”, lembrando da importância da tranquilidade dos pais para passar por esta fase sem sofrimentos. “Ninguém melhor do que os pais para promover esta mudança. Eu conversei com muita gente antes de adotar a estratégia para tirar as chupetas de Nanda. Ouvi a história de dar para o gato, de colocar pimenta, de jogar no lixo e outras. Na maioria dos casos, as crianças sempre davam um jeito de reaver as suas chupetas. Por isso, no livro, nós criamos a terra do bico para onde vão ‘as pepês’ das crianças que cresceram e onde são produzidas chupetas para os bebezinhos. Assim, eles entendem que não poderão pegá-las de volta, que são “grandes” e só os “pequenos” precisarão delas”, conta.

Pipo: o troca-chupetas será lançado no próximo dia 22 de outubro, às 10h, na recém-inaugurada Vila 7 do Shopping RioMar, no Recife-PE. O evento também é para a criançada, já que Camila Puntel, do Tapetee Voador, fará contação de história lá.

 

Sobre o livro

A publicação conta a história de uma garotinha chamada Nanda que, ao completar três anos, combina com a mãe de largar as chupetas. É quando conhece a história de Pipo: um garoto que vive na Terra do Bico, local onde são produzidas as chupetas para os bebezinhos. A missão de Pipo é recolher as “pepês” das crianças grandes para serem “plantadas” em sua terra. De lá, surgirão outras novinhas que serão entregues aos bebezinhos. Para isso, ele conta com ajuda dos pais para enviarem cartinhas com as chupetas de seus filhos. Uma parte é plantada na terra; a outra colocada em uma máquina – batizada de troca-chupetas – que transformaria os restos das pepês em um brinquedo escolhido pela criança. “A ideia é que os pais possam reproduzir com os filhos a história contada no livro. Durante a leitura, aconselhamos trocar a idade de Nanda pela a que for compatível com a da criança e onde se lê a palavra pepê, substituir pelo nome com que o filho batizou as chupetas”, explica Tatiana. O livro vem encartado com um envelope para as crianças montarem e colorirem com a ajuda dos pais e, em seguida, despacharem com as pepês dentro para a Terra do Bico. “É uma forma de elas mergulharem nesta fantasia e, sem sentir, entregar as chupetas. Tudo isso de uma forma lúdica e sem traumas”, diz a autora. A obra foi inspirada na experiência de Tatiana na retirada da chupeta da sua filha Maria Fernanda, hoje com cinco anos e que dá nome à personagem principal da obra. “Com ela, eu contei a história da fada das chupetas (uma adaptação da famosa fada do dente) e comprei uma caixinha, tinta e enfeites para personalizarmos e colocarmos as pepês dentro quando completasse três aninhos”, lembra. No dia da entrega, as duas foram a uma loja de brinquedos e deixaram a caixinha para ser entregue à fada. Em troca, Nanda escolheu uma boneca. “À noite, ela ainda chegou a perguntar sobre as pepês, mas aceitou tranquilamente. Acredito que o fato de ter feito ela vivenciar este processo foi o segredo para passar por esta fase sem traumas”, disse Tatiana. Daí a ideia de compartilhar a experiência com outros pais. Através da parceria com Jarbas Domingos – ilustrador e coautor da obra – surgiu a ideia de elaborar o mundo de Pipo. “Foram criados novos universo e personagem não só com o intuito de entreter, mas também de despertar na criança o desejo de participar da despedida da própria chupeta”, enfatizou. Na narrativa, os autores usam palavras facilmente assimiladas pelo universo infantil, como “a criança grande e a pequena” e os “combinados” que os pais fazem com os filhos. “Quando começam a crescer, elas não gostam de ser chamadas de pequenas, de bebês e querem mostrar aos adultos e amigos que cresceram. Por isso, no livro, frisamos que as crianças grandes não chupam mais as pepês e só as pequenas precisam delas”, destacou Tatiana. Pipo: o troca-chupetas começa a ser vendido nas principais livrarias do Recife, logo após o lançamento, no valor de R$ 20.

Sobre os autores: Tatiana Sotero é jornalista e editora do Diario de Pernambuco na coluna e blog social. É apaixonada pelo universo infantil desde quando chegou ao mundo Maria Fernanda, sua filha que inspirou o livro. Jarbas Domingos é designer pernambucano que trabalha como cartunista desde 1998. Seus desenhos já foram premiados em salões nacionais e internacionais, como o World Press Cartoon. Contatos: Tatiana Sotero (81) 99962.6220 – tatisotero@yahoo.com Jarbas Domingos (81) 99979.4554 – artejarbas@gmail.com www.querodesenho.com.

Faça um Comentário

    Topo