segunda-feira 29 de agosto de 2016

Como lidar com a birra

Categoria(s): ,

birra2

Você vai passear com o filho e, de repente, ele pede alguma coisa que, por algum motivo, você não pode dar. Ele chora, você tenta resolver, ele grita, você começa a ficar nervosa, ele esperneia, se joga no chão e faz o maior escândalo. Essa cena já aconteceu com você? Espero que não, porque isso aí já é o limite da birra. É quando tudo já fugiu ao controle e você vai ter muito mais trabalho de reverter a situação. Mas, calma, isso é possível!

Não é fácil lidar com a birra da criança, mas também não é coisa de outro mundo, se a mãe se mantiver firme desde o início e entender que tem horas que não pode ceder mesmo. Comigo está dando certo (graças a Deus!!!). Nunca tivemos uma cena de escândalo nem em casa e nem na rua. Ele até tenta, começa a bater o pé, mas você precisa cortar algumas atitudes desde cedo: bater o pé não! E se jogar no chão jamais! Esse é o início para outras coisas que ele pode vir a tentar, como chutar, gritar, socar o chão, jogar coisas ou bater. Tem menino que vai além e ainda prende a respiração até ficar roxo. Sério. E a mãe que não se segura cai no desespero e acaba cedendo. Então, concentra: a criança começou a chorar ou fazer manha por algo que ela quer? Tente, antes de qualquer coisa, o diálogo.

É fácil? É nada! Lidar com criança nunca é fácil. É preciso muito tato, muita paciência e um grande jogo de erros e acertos. Não tem fórmula mágica. Mas, conversando com alguns psicólogos e pediatras, a gente tem umas dicas legais para você não querer chorar junto com o filho.

Antes de qualquer coisa, faça de tudo para não perder a calma. Seu filho pode dar um histérico, mas você não. Você é o lado racional da relação, foca nisso! É preciso lembrar que seu filhote pode estar cansadinho, com sono, com fome ou com algum desconforto e, nessas situações, é mais fácil chorar, fazer birra ou ficar mais manhoso. Entenda, mas mesmo assim não vá dar corda pra isso. Não mesmo! Procure entender o que está havendo antes de querer gritar mais alto que ele. Até porque não vai adiantar. Psicólogos garantem que gritar ou tentar dar lição de moral nessas horas é algo que vai entrar por um ouvido e sair por outro. Seu filho não vai nem escutar.

E também não tente ir embora e deixá-lo sozinho chorando. Isso pode fazê-lo se sentir abandonado. Com a forte emoção que ele está vivendo naquele momento, vai ser bom saber que tem alguém por perto. Se for o caso, carregue seu filhote no colo, abrace-o forte e diga o quanto gosta dele, diga que não precisa ficar assim, que você entende que ele está cansadinho e que tudo vai ficar bem.  Mas cuidado para não confundir isso com “recompensar” o comportamento negativo. Essa atitude serve somente para o menino se acalmar e depois vocês conversarem. Se preferir – dica também de especialistas – você poderia simplesmente ignorar o chilique, deixa-lo quieto até ele se acalmar. Vai de criança pra criança, mamãe. Não tem receita. Cada uma reage de uma maneira e cada uma precisa de uma atenção específica. Tente descobrir o que é melhor para o seu filho. A minha maneira é de segurá-lo, explicar que entendo o que está acontecendo e dar muito carinho. Peço para ele me explicar porque está agindo assim. Mas se ele falar chorando, eu digo que não estou entendendo. Ele se acalma e fala sem chorar. E se ele continuar e bater o pé, eu sou firme (mas sem grito).

O mais importante de tudo é não ceder. Se você fizer isso uma vez, pode apostar que seu filho entenderá “É só chorar mais um pouco, que ela faz o que eu quero”, ou “É só eu me jogar no chão e gritar… esse é o ponto fraco da minha mamãe”. Muitas mães acabam fazendo a vontade do filho porque sabem que isso “resolverá” o problema. Assim, ela não passará vergonha no shopping center com todas as pessoas olhando e julgando a cena. Mas presta atenção numa coisa (presta atenção mesmo!): não se preocupe com o que os outros estão pensando. Todo mundo passa por isso, pode apostar! O mais importante é você educar seu filho e não se importar com quem está olhando ou julgando. Ceder só vai ajudar a gerar mais birra lá na frente.

Então, respire fundo e mantenha a calma, até porque seu filho já está tão transtornado que a última coisa que ele precisa é sentir que você também está sem controle. E nada de dar bronca alta em público. Isso é constrangedor. Chame-o no canto para ele se acalmar ou, se for o caso leve-o embora. A punição de “perder o passeio” é válida, para aprender que com gritos e birras não se consegue nada, pelo contrário. Mas não vale ameaçar e não fazer, viu? Tipo “Se continuar assim vai pra casa!”, daí ele continua e vocês ficam. Se você ameaçar ir embora, saiba o que está fazendo e seja firme: vá mesmo. Se não for possível ir embora, nem dê essa opção. E quando as coisas estiverem mais tranquilas, aí sim tente uma boa conversa com ele, com calma, explicando tudo. Diga que você entendeu a frustração dele, diga com palavras, fale que você sabe que ele queria o brinquedo, mas que era muito caro e você não pode comprar naquele momento, quem sabe outra hora. Diga que você entende que a comidinha não estava como ele gostava e que sabe que ele preferia a pipoca, mas é preciso se alimentar antes, a pipoca é para outros momentos.

E ainda vale mostrar a ele que daquele jeito, com gritos e birras, você não consegue entender o que ele quer. Vale dizer: “Desculpe por eu não ter entendido o que você quer. Agora que está mais calmo, sem chorar, eu entendo”. Sempre com carinho, mamãe. Você não precisa gritar mais alto que ele. Não é de uma mãe descontrolada que ele precisa. Foque nisso. Mantenha a calma, não dê corda para a birra, não grite também e – por favor!! – Não ceda! Com o tempo você vai perceber como está conseguindo ensinar seu filho como ele deve agir quando quer alguma coisa, que está longe de ser se jogando no chão ou fazendo uma cena. Isso é educar. Boa sorte!!

birra_dentro2

22 Comentários

  • Helen

    Amei seu texto muito útil. Mas tenho uma outra dúvida, como lidar com a criança que toda vez que você fala “não” ela emburra? O certo é ignorar ou devo fazer algo?

    • Sarah Eleutério

      É conversar, flor. Sempre. Se a criança emburra é porque não quer aceitar o não. Mas todo “não” tem que vir com a explicação do porque do “não”. Fale com ele. Diga que entende que ele não gostou, mas explique porque você está dizendo não. Diga com carinho e que gosta muito dele.

  • Estela

    Tenho um filho de 1 ano e 3 meses como faço para que ele aprenda q nao se pode bater mas pessoas ; ele bate como se estivesse castigando , tentei colocar de castigo mais ele não fica no cantinho q coloco . Pfv me ajuda .

    • Sarah Eleutério

      Estela, ele é muito novinho. Tenha calma que vai aprender. Alguém bate nele? Se os pais ou alguém da família bate nele, pode ter certeza que é isso que ele está aprendendo (que é batendo que se resolvem a coisas). Nós somos exemplos para nossos filhos. Não adianta você Ensinar uma coisa e fazer outra. Ele vai copiar as ações dos pais. Mas se você não bate, ele pode estar aprendendo isso na escola ou em outro ambiente que frequenta. Calma que isso passa. O importante é você explicar que bater nas pessoas não resolve nada, que machuca, que não é legal. Mas entenda que ele ainda é muito novinho e vai aprender isso aos poucos. Não recrimine batendo ou gritando, mas só com conversas. E se ele bater em você (o que pode acontecer, isso é normal) não grite e não bata de volta. Pergunte com carinho: “Mamãe bate em você? Então por que está batendo em mim? Não faça isso, meu amor”. Ele vai entender com o tempo. As crianças batem porque copiam isso de alguém. Se você quer ensinar algo a seu filho, seja um exemplo. E pode ter certeza de que ele vai copiar. 😉

  • Danubia

    Eu confeso q de vez e sempre q me tira do serio por falar 1 2 3 vezes e nada de obedecer ai eu grito. Mas eu converso muito com meu filho de 4 anos. E tenho muita paciencia. So queria saber como fazer ele obedecer na segunda vez pelo menos ao falarcom ele?

    • Sarah Eleutério

      Não há regra, Danubia. Não tenho como te dizer exatamente o que fazer com seu filhote, mas me diga um coisa: você chega a ceder e fazer o que ele quer quando ele faz a birra? Não pode, tá? Antes de dizer não, pense bem se vale a pena dizer o “não”. Porque quando disser, tem que sustentar. E eu entendo que às vezes a gente perde mesmo a paciência, mas tente não gritar. Isso não vai ajudar e ele não vai te obedecer assim. Ele precisa que você conversa, que você explique que entende a frustração dele, mas que ele também precisa entender que não pode. Tente ter paciência porque não é fácil. Ele ainda é muito novinho e isso é uma construção. Com o tempo ele vai entendendo. 😉

  • Isabela

    Minha filha tem 1ano e três meses e ja faz isso de se jogar no chão e gritar e quanto mais eu converso com ela mais ela grita não sei oq fazer pq ela ainda é um bebê

  • Carol

    Muito boa as dicas!!!! Só gostaria de saber com qual idade pode usar essas atitudes… Tenho um bb de 11 meses e por mais que eu seja firme ele já tem algumas atitudes de birra, ou então dá risada quando lhe chamo atenção.

    • Sarah Eleutério

      Seu filho é muito novinho, Carol. Entenda que muita coisa ele ainda nem entende e não faz por maldade. Converse sempre! Ele vai começar a entender o que pode e o que não pode aos poucos. Continue firme quando precisa, mas ser firma não é gritar, tá? É falar com muito carinho, mas com voz firme, sem amolecer e sem ceder, fazendo a vontade dele. É importante os pais entenderem que não se pode dizer “não” com tudo. Os pais hoje dizem “não” por qualquer coisa. Se você acha que é uma besteira, não negue. Porque quando você disser “não”, vai ter que sustentar e não vai poder voltar atrás. Continue firme e sempre explicando tudo. Converse muito com seu filho porque ele já entende a conversa, suas palavras, mas vai assimilar aos pouquinhos. Boa sorte, flor!

  • dandara Maria

    meu filho tem 2 anos e ele chora por qualquer coisa, eu as vezes falo a ele que não precisa chorar por tudo, mas memso assim ele continua fazendo as vezes grito com ele por conta disso oque faço???

  • Fabiana

    Tenho uma filha de 3 anos e meio, nao posso sair com ela que tudo ela quer, e ela não se concentra em uma só coisa ela quer 1 2 3 4 5 tudo na mesma hora….ela não sabe se comportar em casa, na igreja, no mercado em praças todos os lugares ela faz birra, grita , chora, e esperneia tem horas q não sei o que fazer… ela me pede muito um irmão , nao sei se é a falta de alguém para brincar q ela fica assim

  • Fabiana

    Li a matéria…. Vou usar os métodos

  • Claudia

    Tenho uma filha de 1 ano e 4 messes, ela ja ta començando ficar com birras , e querer bater no irmão, e nas pessoas e muito esperta repete tudo que falo e faço, e as vezes me estresso e crito com o irnao mas velho ela faz igual, como devo fazer para começar a tirar as birras e manias dela..

    • Sarah Eleutério

      Claudia, é fase. Faz parte. Tente conversar sempre e dizer p que pode e o que não pode. Você viu o que você mesma disse? “Muito esperta, repete tudo o que eu faço”. Somos espelhos para nossos filhos. Somos exemplos. Educar filho passa a ser mais fácil quando entendemos que não precisamos dizer como eles devem se comportar. É só sermos exemplos. Se você grita com sua filha pode ficar certa de que está ensinando que é gritando que se resolve e é assim que ela vai agir com as pessoas. Seja carinhosa. Se for necessário, castigue tirando dela o que ela quer (chora e grita porque quer o brinquedo? Então vai ficar sem o brinquedo. E pronto, não vale ceder). Tente isso e boa sorte! Mas pegue leve porque faz parte do seu crescimento. Ela está lutando por seu espaço. 😉

  • Fernanda Gonçalves

    Oi o meu filho tem 5 anos e tenho muita dificuldade pra fazer ele entender que na hora da refeição não pode ficar com brincadeira, ele conversa bastante durante a refeição, fica levantando da mesa, inventa que quer ir ao banheiro que a barriga está doendo resumindo e uma luta todos os dias pra fazer ele comer direito,parece que ele tem preguiça de comer atribuo e penso que seja por conta do celular,porém antes dele ter acesso ao celular ele já dava trabalho pra comer, o que faço? ja tentei o castigo tirando o celular dele.

    • Sarah Eleutério

      Fernanda, seu filho já tem cinco anos mas ainda é muito novinho para situações “chatas e sem graça”. Comer sem nenhuma diversão só é legal para adultos. Tente tornar esse momento um pouco mais lúdico. Se você não quer que ele brinque enquanto come (eu, particularmente não vejo problema nisso), tente dar um brinquedo para ficar na mesa, ou um joguinho ou um prato cheio de bonecos e uma comida em formato de bichinhos… entenda que as crianças gostam do lúdico. Normalmente os banhos só são aceitos pelos pequenos quando vai ter brincadeira no banho, não é verdade? Pense nisso! Boa sorte!

  • Bianca Batista

    Meu filho tem 2 anos e meses e é muito impaciente td quer que seja na hora dele e quando não é feito como ele quer ele se joga no chão grita chora esperneia e pior bate com a cabeça no chão com muita força e não sei como agir nessã situação? Como posso mostrar que tá errado ele fazer isso ?

    • Sarah Eleutério

      Uma pergunta básica: quando ele faz isso você acaba cedendo e faz o que ele quer? Porque se faz, pode ter certeza de que ele vai continuar fazendo isso. Não faça suas vontades quando chorar, gritar, espernear… entende? Boa sorte!

  • Luciele

    Adorei as dicas.. Meu filho tem 1ano e 5meses, e de um tempo pra cá ele deu em chorar e gritar ao mesmo tempo, qndo quer algo, principalmente qndo quer mamar,as vezes é só grito, chega a ficar rouco. As vezes ele até joga os brinquedos longe. Eu tento acalmá_lo mas parece que é pior,por mais calma que eu fale. Um dia desses pra não perder o controle eu deixei ele chorando sentado no sofá e fui pro quarto,o pai dele estava no outro sofá e ignorou a situação,minutos depois ele parou com choro e gritos e foi me procurar. Ele é o meu primeiro filho,às vezes não sei o que fazer.. Eu amo ele mais que tudo na minha vida!!

  • Katarina Pitombeira

    Oi Sarah! Tempinho que eu não comentava aqui no blog, mas estou acompanhado. Bom, uma das coisas que ajudou muito a diminuirem as birras foi entender que não adianta forçar barra quando isso ultrapassa os limites dele. Com Rafa, por exemplo, sei que as programações noturnas sempre vão gerar estresse, até pq ele dorme muito cedo. Então, pra diminuir nosso desgaste, resolvi que não faço programações noturnas, a não ser que ele tenha descansado bem. Por mais que eles pareçam grandes, ainda são muito pequenos e quem está no controle precisa entender que essas necessidades fisiológicas ainda mexem muito com eles. Essa minha decisão ajudou um bocado. Um beijão!

    • Sarah Eleutério

      Que bom descobrir isso, Kata! Acho tão importante quando a mãe entende as limitações do filho e as respeita. Também percebo quando Eduardinho está mais cansadinho e isso abre uma margem enorme para a birra. É entender, conversar e evitar essas situações de estresse, né? Obrigada pelo comentário! Bjo!

    • Sarah Eleutério

      Que bom, Kata!! Com o tempo ele vai se acostumando, né? Ah, parabéns pela nova bebezinha que vem por aí! Tenho certeza de que você vai continuar sendo uma mãe linda!!

Faça um Comentário

    Topo