quinta-feira 08 de outubro de 2015

Dilatar a pupila: e aí, pode?

Categoria(s):

B0FECB4D-7945-44F4-A65A-E3113A430FA1

Você leva seu bebê para fazer um exame no olhinho e o pessoal na clínica diz que é preciso dilatar a pupila. Aí você fica com o maior receio, sem saber se isso vai prejudicar seu filhote… Muitos pais têm essa dúvida, sim. Essa semana, uma mãe me escreveu perguntando se isso é normal e se pode deixar dilatarem a pupila do bebê. Bem, a primeira coisa que deixo claro é que não sou médica e não me arrisco a dar qualquer opinião sobre a saúde da criança, mas o que a gente não sabe, procura saber, não é verdade? Fui atrás de quem entende e está aqui!
O teste do olhinho é feito desde muito cedo, ainda na maternidade, de preferência, para se detectar uma série de doenças oculares como catarata congênita, glaucoma ou leucoma. Depois disso, a mamãe precisa se ligar no calendário e levar o filho periodicamente às consultas para verificar se está tudo bem com os olhinhos da criança. E isso significa pelo menos a cada seis meses, nos primeiros três anos de vida. Depois disso, a cada ano. E, se for preciso: pode deixar dilatar a pupila, sim.
A oftalmologista Simone Travassos, do Hospital de Olhos de Pernambuco (HOPE), diz que, apesar do receito de papais e mamães, dilatar é preciso, importante e não dói nada no bebê. “Com as pupilas dilatadas, o oftalmologista consegue fazer um exame mais completo do fundo dos olhos e diagnosticar doenças que podem afetar a visão. Além disso, com as pupilas paralisadas, o exame para verificar o grau (refração) em crianças, fica mais preciso”, explica. Quanto aos possíveis efeitos colaterais, não precisa se preocupar. Já que a fotofobia (sensibilidade à luz) e dificuldade de visão (principalmente para perto) acontecem com a pupila dilatada, mas desaparecem gradualmente, de três a vinte e quatro horas. Tudo depende do tipo de colírio, da sua concentração e da característica de cada indivíduo.
Quer uma dica? Lembre que seu pequeno está com essa dificuldade e ajude-o. Se ele ficar agoniadinho, explique o que está acontecendo. Diga que ele está sem enxergar direito porque o médico colocou um remedinho em seus olhos, mas vai passar. Ele ainda é muito novinho e não entende o que você diz? Você que pensa, mamãe. Converse sempre. Explique tudo o que se passa. Com o tempo ele vai entendendo e, se não entender suas palavras agora, ele sente sua segurança ao explicar, sente seu carinho, seu cuidado. Não ignore o fato de ele precisar saber o que está havendo. E, se ele chorar, pelo menos você sabe que não é dor nos olhilhos, mas apenas incômodo. Ajude-o: explicação, atenção e muito carinho!

Faça um Comentário

    Topo