segunda-feira 07 de setembro de 2015

Otimizando o grupo de mães

Categoria(s):

image

Com o avanço da tecnologia e o surgimento de grupos de conversa por mensagem – como o Whats App – aparecerem logo os grupo de mães das crianças da escola. Acho que em quase todas as escolas isso acontece. São mães que se juntam para acompanhar o que está acontecendo no colégio do filho e trocar ideias com as outras mães. Isso é legal, mas o melhor é quando essas mães sabem realmente aproveitar bem essa ferramenta.

Assim que meu filho entrou no berçario, eu fui a primeira a criar esse grupo. Fui pedindo à escola os contatos das outras mães e: grupo criado! A primeira regra que coloquei e todas concordaram: não vale postar nada que não seja de interesse geral do grupo, ou seja, nada de mensagens de política, piadas e essas imagens e vídeos que circulam na internet. Isso tiraria o foco principal e muitas mães acabariam não conseguindo acompanhar as conversas de tanta “baboseira”.

Quando o nosso grupo começou, as crianças estavam no berçario. Mas depois, com os filhos já no materialzinho, surgiu a necessidade de nos reunirmos para comprar os ovos de Páscoa das tias. Ora, melhor se juntássemos todas as mães da unidade (berçario, transição e maternalzinho). O resultado foi o maior presente em conjunto que as tias já receberam na escola: uma cesta para cada uma, com delícias de chocolate e um cartãozinho de cada criança, em agradecimento.

O carinho no presente contribuiu para uma reciprocidade ainda maior das tias da escola. A relação entre as mães e as tias ficou ainda mais gostosa. E, o melhor: agora tínhamos um grupo gigante de mais de 40 mães. E a cada nova criança na escola, entra uma nova mãe no grupo.

image

E sabe o que fazer com um grupo tão grande de pessoas que têm o mesmo ideal? Usa para o bem. Não precisa fazer um complô contra a escola e nem virar um bando de mães que passam a vigiar cada passo do filho através dos relatos das outras mães. E nem juntar todo mundo para reclamar da mensalidade ou cobrar mais ações da escola. Isso é válido, sim, mas não precisa exagerar.

Usar o grupo de Whats App para o bem é aproveitar o Natal para dar um presente bem melhor do que uma lavanda para cada professor. E garantir um carinho de volta que eles passam a ter com os filhotes. Mais que isso, é as mães se ajudarem. Fazemos isso sempre. Em nossas conversas, estamos constantemente citando alguma doença que um filho teve e prontamente uma mãe está lá para dar uma sugestão ou passar o contato de um médico. É feriado? Logo aparece a pergunta “Alguma sugestão para o que fazer com a criançada?”. E acabam surgindo encontros gostosos dos coleguinhas de classe.

E quando você abre o grupo e tem trezentas mensagens não lidas? Pode ler, que vai valer a pena. Não tem piada, opiniões partidárias ou vídeos viralizados na web. Pode ler, que vai ter lá informação sobre alguma doencinha, dica sobre passeios, dúvidas sobre alguma ação da escola, ou seja, só vai ter o que realmente importa. E num grupo de mães de alunos, o que realmente importa não é necessariamente uma manifestação contra a escola, mas tudo o que possa trazer de positivo. Pra todo mundo.

1 comentário

Faça um Comentário

    Topo