quinta-feira 02 de abril de 2015

Os segredos da fotografia “newborn”

Categoria(s): ,

nati_bebe_capa

Registrar os traços do bebezinho ainda em seus primeiros dias de vida. É o desejo de muitos pais, que procuram por profissionais especializados em fotografia newbord. O serviço se tornou uma mania para muitas mamães e papais que querem guardar a lembrança ou ver o filhote numa cestinha, parecendo um anjinho. Mas nem todos os fotógrafos estão praparados para lidar com esses pequenos tão frágeis. É preciso técnica, cuidado, paciência e muito carinho. Com todos esses atributos, Nathália Bormann, que se especializou na área, é uma das melhores profissionais no Nordeste. Em entrevista exclusiva ao Blog Mãe na Real, ela conta as delícias e dificuldades de fotografar recém-nascidos e mostra os bastidores dos ensaios atualmente mais procurados.

ENTREVISTA

Nathália Bormann – fotógrafa

Nathalia

– Você já era fotógrafa profissional, mas como surgiu a ideia de trabalhar com bebês?

Minha paixão pela fotografia teve início durante a faculdade de jornalismo, antes mesmo de começar a pagar as disciplinas de fotojornalismo. Ainda na universidade, adquiri minha primeira câmera fotográfica. Já no final do curso, comecei a estagiar em um jornal local, em 2010, e com o fim do estágio, no mesmo ano, acabei sendo contratada. A partir daí foram três anos de aprendizado e aprimoramento em um veículo de comunicação, onde pude desenvolver minha técnica e aprimorar o olhar. Desde sempre gostei de crianças, da leveza e espontaneidade que elas transmitem. Foi quando em 2014, comecei a me apaixonar pelo mundo dos bebês nos seus primeiros dias de vida. Conheci mais de perto a fotografia newborn, fiz cursos na área, adquiri literatura sobre o assunto e dei o pontapé para um projeto que unia duas paixões: a fotografia e os bebês.

nati2

– As fotografias são exclusivamente com recém-nascidos ou você também faz ensaios com crianças maiores e famílias?

Nessa primeira etapa do projeto estou segmentando o público para mamães e seus bebês recém-nascidos, porque acredito que é um mercado que precisa de dedicação e crescimento aqui em Pernambuco. É um trabalho diferenciado. Não é qualquer tipo de ensaio, os cuidados são muito maiores e demanda tempo, dedicação e paciência. Pesquisando sobre o mercado aqui no Recife, vi que ainda é pequena a quantidade de gente que se dedica a esse tipo de trabalho e acredito que as mães buscam profissionais especializados no momento de submeter o filho, ainda com pouquíssimo tempo de vida, a um ensaio fotográfico. Mas pretendo trabalhar com bebês um pouco maiores de até um ano, futuramente.

nati_bebe3

– Quais as dificuldades de se fotografar um recém-nascido?

A maior dificuldade é lidar com o inesperado. Uma sessão newborn é muito imprevisível, porque quem vai ditar o ritmo do ensaio é única e exclusivamente o bebê. Existem técnicas para acalmar o recém-nascido, existem trocas de poses mais apropriadas para conduzir uma sessão, mas independente do que o fotógrafo faça, ainda assim é uma incógnita, porque cada criança é de um jeito. Por isso é recomendado que esse tipo de ensaio seja feito, entre o quinto e décimo quinto dia de vida do bebê (período em que ele dorme mais, tem as articulações ainda bem flexíveis…) para minimizar os contratempos de forma que a sessão flua melhor.

nati_bebe1

– Quanto tempo dura, em média, um ensaio e qual o maior tempo que você já ficou fotografando um bebezinho?

A sessão dura, em média, de 3 a 4 horas. Não lembro qual o maior tempo que fiquei fotografando. Mas quando a criança não rende no dia marcado, é preferível que volte no dia seguinte, porque não adianta forçar uma situação quando o bebê não está à vontade. Ele precisa demonstrar que está bem, confortável e seguro. Essa é a intenção. Além disso, é importante que os pais guardem aquele momento como um lembrança agradável e não traumática.

– Os pais ficam com algum receio? Têm medo de uma posição ou outra?

Acho que o maior receio dos pais é que o ensaio não dê certo no dia agendado. Mas é importante que eles contem com essa possibilidade. Por isso é bom respeitar o período de tempo indicado para realizar as fotos. Com relação às posições, o que eu vejo é que eles gostam bastante de ver o filho dentro de um cestinho, enrolados em wraps (como são chamados os tecidos usados para envolver os bebês). Procuro evitar posições que exponham a criança a qualquer risco.

– Quais os cenários ou adereços preferidos pelos pais ou por você?

Acho que a parte mais esperada do ensaio é quando eles vão pra dentro dos cestinhos (props – objetos de cena). Eles costumam gostar mais do que as poses no pufe. Com relação aos acessórios, as asinhas de anjo, coroa de princesa e saia de bailarina deixam qualquer mãe e pai babando.

nati_bebe2

– Por que você acha que os ensaios com bebezinhos ficaram tão em evidência?

Acredito que é porque o bebê muda muito rápido e, antigamente, não existia essa preocupação em registrar tão de perto os traços do recém-nascido, detalhes da boca, cabelos (ou não rsrsrs), cílios e pés ainda nos primeiros dias de vida. São características que mudam rapidamente. Com um mês, o bebê já não é mais aquele de 10 dias e os pais querem ter esse registro para trazer de volta à memória esse momento. Além do fato de ser tão lindo e delicado esse tipo de fotografia.

 

Nathália Bormann
(81) 9208-0869
Facebook:nathaliabormannfotografia
Instagram: nathaliabormannphoto

4 Comentários

  • Gabriela

    Tudo muito lindo

  • Eveline

    VC arraza , tudo lindo , perfeito

  • Fátima

    Você é realmente uma profissional de primeira, pois trabalha com a sensibilidade que contribui para a fluidez desses momentos únicos e de uma beleza imensa.

  • Carolina Valois

    Nathalia, você trabalho fantástico! Parabéns!!

Faça um Comentário

    Topo