terça-feira 18 de novembro de 2014

Uma mãe e um blog que nasceram juntinhos

Categoria(s):

Todo dia é um corre corre danado! Quem é mãe sabe o que é isso, nem preciso falar muito. E quem é mãe de um bebê – mesmo que o pequeno já tenha um aninho de vida – entende muuuuuito bem o quero dizer com “corre corre”. Posso ir além? Quem é mãe de um bebê e também trabalha, tem outras atividades profissionais “extras” e ainda arruma tempo para sair, se divertir, passear, viajar e curtir a família sabe o que é correria. 

E quando, no meio de tudo isso, tem um blog? O Mãe na Real me tira o “tempo livre”, me faz ler, estudar, pesquisar, entrevistar e escrever quando eu poderia estar no sofá assintindo qualquer comédia romântica – lógico, depois que o filhote já pegou no sono! Mas são as escolhas que fazemos. Minha vida nunca esteve tão corrida, mas também nunca foi tão satisfatória!


A verdade é que minha experiência como mãe nasceu junto com minha experiência como blogueira, até porque o assunto do blog é justamente a maternidade. E o blog veio como necessidade para meu papel de mãe e vice versa.

 

De vez em quanto recebo e-mails de mães que me pergutam como consegui manter um blog com um recém-nascido em casa. Pois é, um filhote que havia acabado de nascer e contou apenas com o papai e a mamãe, sem aquela estrutura de avós, tios, babás etc para dar o suporte que a gente sabe que é bem-vindo nessas horas. A correria e a sobrecarga foram grandes, mas também foi um aprendizado enorme. E no meio dessa “confusão”, nasceu o blog Mãe na Real. Na verdade, faltando um mês para o parto, decidi escrever tudo o que me incomodava como gestante: as dores nas costas, os enjoos, as noites já mal dormidas por conta da falta de posição e, principalmente, o turbilhão de hormônios que vêm junto com a barriga!


Resolvi escrever para compartilhar com amigas que ainda não haviam passado pela experiência de serem mães, mas que deveriam saber que “não, não é um mar de rosas e não é o maior encantamento do mundo estar grávida!”. Como a procura pelos textos deu centenas de acessos ao blog, entendi que eu estava ali assumindo um compromisso. Agora um monte de meninas e mulheres precisavam daquelas informações. E eu não as deixaria na mão quando meu filho nascesse. Resolvi escrever to-dos-os-dias! Com o nascimento do meu filho, comecei a escrever o que era ser mãe, sem maquiagem, sem precisar ser politicamente correta, mostrando, na real, as dificuldades da maternidade, o que vai além da delícia do cheirinho do bebê.

E como não postar meu dia a dia e ajudar outras mamães que passam pelas mesmas dificuldades? E foi por isso que minha experiência como mãe já nasceu nesse furacão, no corre corre, sem muito tempo para descansar, mas com a satisfação de ler tudo o que eu não sabia, de entrevistar pediatras e psicólogos para entender o que era necessário e repassar tudo a quem também precisava dessas informações. Um verdadeiro aprendizado diário.


Mas, mesmo com todo esse corre corre, minha vida anda feliz! Realizada em todos os sentidos, mas principalmente como mãe. E há muito mais coisas a compartilhar. Haverá sempre! Essa minha experiência como mãe e blogueira, duas “profissões” que nasceram juntinhas, é um exemplo dentre tantas outras experiências de tantas mamães por aí. Causos de mães que são contatos e compartilhados, por exemplo, no “Minha vida anda”, um grupo criado pelos calçados Bibi no Facebook com o objetivo de reunir o maior número de mães e pais para compartilharem o máximo de experiências e, assim, se ajudarem.

A proprósito, amanhã, dia 19/11, eu estarei lá, das 14h às 16h, num bate-papo gostoso com quem quiser trocar experiências e matar curiosidades da maternidade. Vem também! Para participar, basta fazer parte do grupo no Facebook clicando aqui abaixo:

 

1 comentário

Faça um Comentário

    Topo