terça-feira 21 de outubro de 2014

Para quê tanta preocupação?

Categoria(s):


Outro dia uma amiga estava na minha casa com o filho e, na hora do almoço, ela disse “Vão almoçando vocês. Eu como depois”. Daí eu a questionei: “Por quê? Por que você não almoça com a gente e deixa ele aí no
chão brincando?”. E ela não soube responder.


Acontece com muitas mães de “bebês”. É uma sensação de precisar estar “vigiando” seu filho o tempo todo. Olhando, cuidando, prestando atenção para ele não cair, não mexer na tomada, não colocar nenhum objeto pequeno na boca, não machucar o dedinho na gaveta, não entrar no banheiro, não isso, não aquilo. Ai, quanta coisa! E você acaba não percebendo que o filhote está no chão da casa da sua amiga, com outras crianças pequenas e num ambiente super seguro. E você não percebe que poderia parar para almoçar e ficar de rabo de olho, observando seu filho de longe. 


Às vezes me pego assim também. E, pelo que tantas mães me escrevem, não é uma característica minha e da minha amiga. É muita mãe vivendo com o tempo cronometrado, tomando um banho voando, enquanto o filho está dormindo, ou almoçando nas carreiras enquanto o pequeno se distrai com um brinquedo novo (uma distração que pode durar só cinco minutos até ele se abusar do brinquedo). 


Aí a gente faz tudo correndo. Cinco minutos para tomar café, seis minutos de banho (se der para lavar o cabelo, foi lucro), dois minutos para colocar a roupa (dá para escolher não, coloca a primeira que encontra!),  dois minutos para escovar os dentes, e ainda assim com a mão que está sobrando pegando um novo brinquedo para distrair a criança.


E a gente acaba não percebendo que o pequeno cresceu. Que sabe brincar sozinho no chão, que não precisa mais de tanta vigilância e que você só precisa se certificar que o ambiente está seguro e não há nada com que ele possa se machucar.


Relaxe! Você não precisa viver com o tempo contato. Não precisa de tanta pressa, fazendo as coisas correndo antes que seu filho chore. Se ele chorar – e você sabe que não se trata de dor ou fome, mas apenas está te chamando – ele pode esperar. Termine seu café, lave o cabelo, escove os dentes. 


Não estou dizendo que seu pequeno pode ficar chorando. Sou a maior defensora do “colo” aos filhotes. Mas a vida não é cronometrada, mamãe. Relaxa, porque seu filhote também precisa de uma mãe tranquila. 

Faça um Comentário

    Topo