domingo 12 de outubro de 2014

As dicas no avião

Categoria(s): , ,

 

 

A primeira viagem de avião com um bebê pode ser tranquila. Ou não! Isso vai depender, primeiramente, do próprio bebê – se ele é calminho, agitado ou se está bem ou doente. O resto, é com você, mamãe.

 

Se você vai fazer uma viagem de avião com seu filho, vale a pena se munir de todas as dicas para que o voo seja tranquilo. E quando falo tranquilo, eu me refiro a uma boa viajem para você, para ele e para os demais passageiros que estarão por perto!

 

Eu já dei algumas dicas sobre isso há algum tempo atrás, mas agora vai junto com a minha experiência de passar por isso com meu filho. Para começo de conversa, lembre-se que viagem de avião normalmente é um saco! Não tem muito o que fazer, principalmente se a viagem é longa e ainda mais para um bebê, que não lê uma revista, não assiste a um filme e nem – de jeito nenhum – entende que “falta pouco, está chegando!”.

 

A primeira viagem de avião de meu filhote foi uma surpresa para mim! Achei que seria dificílimo entreter esse menino por tanto tempo, já que é bem ativozinho! Mas, não sei se porque está saindo de uma tosse (sim, melhorou demais!!) ou se o voo deu sono, mas ele foi um anjinho! Foram dois voos, um pela madrugada (saindo às 23h30), horário ótimo para criança, que passa a viagem dormindo, e que durou quase três horas, e outro às sete da manhã do dia seguinte. Sim, foi pesadíssimo para os pais!! Mas faz parte e, dependendo da posição que você arranjar, pode até conseguir tirar uns cochilos também!

 

 

Somente no segundo voo ele reclamou um bocado na descida. Isso porque a pressão incomoda mesmo e aí demos uns goles de leite para melhorar. Mas é assim mesmo. Eles não sabem ainda dizer que está incomodando, daí o que resta é chorar. Choram como quem diz “Está incômodo aqui, mamãe!”. E você não tem muito o que fazer. Se bem que, 

 

 

Enfim, vamos às dicas!

 

Está doentinho? 

 

Antes de mais nada, leve seu filho no pediatra para verificar se está tudo bem. Até porque se ele estiver com alguma congestão nasal, vai sentir dor no ouvido nas horas da decolagem e pouso. Para crianças gripadas ou resfriadas, quando menores de três anos, recomenda-se adiar a viagem aérea. Se isso não for possível, pode-se fazer uma lavagem nasal no dia anterior para reduzir a obstrução. Consulte o médico, viu? Não pense que os bebês são duros na queda como a gente. Se estiverem gripados, a pressão da altura no voo pode doer muito.

 

Mas, mesmo que esteja tudo em ordem, é normal que a criança, ainda assim, sinta uma pressão no ouvido. A dica é oferecer água ou outro líquido, dar um chiclete para ela mascar ou ainda mandar a criança bocejar (se ela for grandinha e entender isso). Caso seja um bebê, tente amamentar assim que for permitido, isso ajuda a reduzir a pressão e o incômodo.

 

 

Relaxadinho

 

E o horário do voo? Sim, isso pode ajudar muito! Procure um voo em um horário que seu filho certamente estará dormindo, ou terá mais sono. Respeite o horário da criança. Se a viagem é muito longa, com mais de seis ou sete horas, os voos noturnos são ideais. Evite dar chocolate ou café antes, para não deixar a criança mais agitada. Se seu filho é um bebezinho, saiba que muitas companhias aéreas disponibilizam berços desmontáveis. Entre em contato com eles dias antes da viagem, para fazer a solicitação. Mas se seu filho já é grandinho e se mexe a ponto de correr o risco de cair desse bercinho, nem invente. Você pode pegar no sono e ele pode cair.

 

 

Vai comer o que?

 

Prepare as coisinha que você sabe que ele gosta de comer. Mas evite o que precisa ficar em uma determinada temperatura (a não ser que você leve bolsa térmica, para iogurtes, por exemplo).  Você também pode perguntar se eles têm alimentação especial para criança (mas também precisa solicitar isso com alguns dias de antecedência). Na dúvida, leve também um biscoitinho. Com fome é que ele não pode ficar.

 

 

Mais espaço 

 

Prefira os acentos da frente, porque são mais espaçosos. Isso para os bebês. Com crianças maiores, é preferível evitar a primeira fileira, porque os braços das poltronas não reclinam, e assim seu filho não poderá deitar em seu colo durante o voo.

 

Em mãos  

 

Tenha em mãos RG, certidão de nascimento e passaporte das crianças, além de uma farmacinha, incluindo remédio para enjoo (mas tudo com orientação médica). Vale também levar uma mochila de mão com as coisinhas básicas. De preferência em kits separados, tipo um kit só com duas fraldas, lenços umedecidos, pomada para assadura e roupas leves. Outro com roupinhas mais pesadas e casacos. Assim, quando você for ao banheiro, não precisa levar uma mala grande. E, numa necessidade, você não terá que ficar levantando para pegar a mala do bebê.

 

 

Entretenimento 

 

Essa é a parte mais difícil! Sim, é lógico que os eletrônicos ajudam muito a manter a criança entretida, mas, por favor, evite os brinquedos sonoros. Os demais passageiros não têm a menor obrigação de ficar ouvindo o barulhinho dos jogos e nem as musiquinhas da Galinha Pintadinha. Coloque os desenho sem som, ou bem baixinhos. Para crianças maiores, leve fones de ouvido.

 

Com que roupa?

 

Sim, não menos importante é a escolha da roupa do bebê para essa viagem. Eu sei que é o primeiro voo dele e você quer que ele esteja lindo nas fotos, mas nada que seja desconfortável, viu? Viagem longa pede, antes de tudo, roupas confortáveis! Se vai de madrugada, deixa o bichinho com um pijaminha mesmo. O bem estar dele deve estar acima da sua vaidade de mãe!

 

Tudo pronto? Então deixa tudo organizado, fica tranquila e aproveita para tirar fotos e registrar esse primeiro passeio de avião do filhote. Sim, e boa viagem!

 

Faça um Comentário

    Topo