terça-feira 17 de junho de 2014

Nasceram os dentinhos. E agora?

Categoria(s): ,

E quando a gente diz que o bebê pode acordar por inúmeros motivos, é porque pode acordar por inúmeros motivos. De uns dias para cá eu vinha me perguntando: “Por que meu filho não dorme a noite toda?”. Hoje descobri que além, do dentinho que já existia, nasceram mais três de uma vez só. Agora ele tem quatro dentes, o que justificava a choramingada no meio da madrugada. Mas já falamos demais sobre os dentes que perturbam o sono do bebê (e da mamãe). Agora vamos falar no que devemos fazer depois que eles nascem.


O nascimento dos dentinhos, em geral, não se dão de uma hora para a outra e eles não nascem de uma vez. Mas pode acontecer – olha meu filho aí para contar a história! Bem, mas a mudança do sorriso banguela para uma boca cheia de dentinhos pode durar pelo menos três anos. 

Tudo começa dentro do útero. Durante a gravidez, o bebê adquiriu os chamados botões dentários, que são as fundações dos chamados dentes-de-leite. Eles começam a romper a superfície da gengiva entre os 3 e os 12 meses. Em geral, começam por volta do sexto mês, quando normalmente o bebê já começa a diversificar a alimentação, incluindo alimentos sólidos. Aos três anos, é bem provável que seu filho já seja um jacarezinho, com a boca cheia de dente! E aí ele já pode escovar sozinho. Sim, vá ensinado essa habilidade a seu pequeno. É um importante passo para ele assumir seus cuidados pessoais. 


E é impressionante como tudo se acha que é dente nascendo. Se seu filho começa a coçar a gengiva desde muito novinho, todos dizem logo “Isso é dentinho que vem por aí”. Não necessariamente. Muitos bebês têm uma necessidade maior de sucção e costumam colocar tudo na boca. Ficam mordendo, chupando, saboreando, mas não necessariamente coçando. Você percebe que “sim, vem dentinho por aí” quando a gengiva já está bem branquinha no ponto onde vai nascer dente. Ele também fica salivando mais. Aí nesses próximos dias, mamãe, pode se preparar para dormir menos. Até rasgar a gengiva, pode ser que seu bebê se incomode e chore à noite. Mas não é regra geral. Tem bebê que “nem nem”. O dente nasce que você nem percebe.


Gengiva branquinha, dentinho nascendo 


Mas é sempre bom consultar o pediatra. Ele deve passar algumas medicações que vão aliviar a dor de seu filhote. E dê mordedores a ele. Os mordedores servem para massagear a gengiva, o que alivia bastante. Coisas geladinhas também ajudam. Alimentos frios, como frutas ou iogurtes (verifique se seu filho já come isso. Não ofereça o que ainda não está liberado para seu bebê). Sim, e lembre-se que o gelo em contato direto com a pele pode doer (queimar). Se for passar um gelinho, coloque-o em uma fraldinha. Os pediatras dizem que o nascimento dos dentes não causa febre nem diarréia, mas muitos dizem “como pediatra, devo dizer que não há relação, mas como mãe eu digo: pode causar, sim”. É que não há estudos que comprovem a febre como sintoma pelo nascimento dos dentinhos, mas na prática muitos pais constatam isso em seus filhos. Então saiba que pode acontecer, mas não deixe jamais de consultar o pediatra mesmo assim! A febre pode estar relacionada a uma outra doencinha. Não ignore isso.


Até chegar aos 20 dentinhos, por volta dos três anos, as crianças começam a ter seus primeiros dentinhos aos seis ou sete meses de idade. Normalmente nascem logo os incisivos centrais inferiores. Depois vêm os dois de cima, em seguida os que ficam ao lado, e dali para o fundo. O desenvolvimento dos dentes é hereditário, por isso se você teve dentes cedo certamente vai acontecer a mesma coisa com seu filho. E pode acontecer de o bebê já nascer com dente? Pode. É raro, mas pode. Estudos apontam que um (ou até dois) em cada 2.000 bebês já nasce com um dente! 

Devemos já escovar?

Pediatras dizem que até um ano de idade não é necessário escovaaaaar mesmo os dentinhos, mas você já pode passar uma fraldinha limpa ou uma gaze neles pelo menos uma vez por dia. É importante para limpar os dentes dele e também já vai criando o hábito da escovação. Pode começar a criar esse hábito antes de dormir, por exemplo. Mesmo que seu bebê caia no sono depois da mamada, ou do leitinho artificial, é preciso limpar. Isso porque os açúcares do leite (mesmo no leite em pó sem adição de açúcar) podem fermentar, corroendo o esmalte dos dentes. 

Quando ele já tiver um ano e meio, pode começar a aprender a escovar. No início, faça junto com ele por alguns anos. Mas é importante que ele vá aprendendo para depois escovar sozinho. Use uma escova macia e uma quantidade bem pequena de pasta de dente. Tem que ser pouca pasta para evitar que a criança engula o flúor, o que pode provocar a chamada fluorose, que causa manchas nos dentes. E o creme dental tem que ser infantil porque ele já tem menos flúor que os adultos, e existem no mercado algumas opções de pasta sem flúor, para bebês. E não seja muito rigorosa para a escovação não se tornar um exercício pouco prazeroso. O importante é retirar os fragmentos de alimentos e limpar a superfície dos dentes e das gengivas. 

 

E se ele não gostar da pasta de dente? Tudo bem, você pode pode tentar outra marca ou nem usar pasta. Até ele começar a comer muitos alimentos doces (o que é bom evitar nesse início de vida de seu filhote) a pasta não é tão necessária. Quando seu filho começar a comer mais doces, como nas festinhas infantis, procure não demorar muito para escovar seus dentinhos. Se não dá para escovar ali, logo após a ingestão do alimento, veja se ele come algo salgado depois, para tirar um pouco do açúcar que ficou por ali. É importante começar a consultar o dentista? Pode ser, converse com o pediatra. 


Agora que você já sabe da importância de limpar os dentinhos da criança, cuide de seu jacarezinho, mamãe. Evite as cáries para evitar mais dores e mais transtornos. E faça com que a hora da escovação seja um momento gostoso, e não uma obrigação. 


1 comentário

Faça um Comentário

    Topo