terça-feira 10 de junho de 2014

Na minha cama não!

Categoria(s):

Nos últimos dias a gente vem falando de bebês que não dormem bem durante a madrugada e muitas mães acabam levando o filho para dormir com ela, na cama, por ser mais cômodo. Acontece ainda de a criança já ser maiorzinha e pedir para dormir na cama dos pais. Bem, aí duas coisas precisam ser levadas em conta. Primeiro é abrir uma exceção para quando seu filho está doentinho e merece uma atenção especial. Outra questão é se os pais estão mesmo dispostos a abrir mão do espaço do casal e incluir o filhote ali bem no meio dos dois. Mas independentemente de qualquer decisão, os pais precisam saber que a criança precisa ter seu espaço e, mais que isso, precisa começar a se sentir segura na ausência dos pais.

Acontece com muitas mães pegar o bebê no meio da noite, tentar um leitinho, tentar a chupeta, chacoalhar a criança de um lado para o outro e, quando ela finalmente prega os olhos, você a coloca no berço e… Buáááá! Daí você tira do berço, leitinho, chupeta, chacoalho… Enfim, o bebê só quer ficar no seu colo. E nessas horas, você, morreeeeeeendo de sono, faz o que? Vai para o mais prático, que certamente não é tentar desacostumar a criança a ficar no seu braço, mas levá-la para sua cama e ambos dormirem ali, coladinhos e felizes.

Vale num momento em que seu filho está doentinho? Vale, sim. Chamego de mãe é melhor do que qualquer remédio. Mas vale isso todo dia? Aí você é que tem que pesar, mamãe. Precisa pesar se isso é tão necessário a ponto de você e o papai perderem a privacidade do casal, o espaço de vocês. Pediatras dizem que, mesmo quando o bebê requer cuidados especiais, o ideal é a mãe (ou o pai) dormir no quarto da criança, em uma cama ou colchão no chão, e não o contrário. O bebê precisa começar a entender que ele tem seu lugar de dormir.

Se você acabou de ter seu filhote, não precisa se preocupar em colocar o bebê no quartinho dele logo nos primeiros dias. Muitas pessoas podem te falar “Nem invente de colocar a criança no seu quarto para ela não se acostumar!”. Mas não é bem assim. O recém-nascido merece mais atenção. E quando os pais são de primeira viagem é normal que acordem no meio da noite até para ver se a criança está respirando. Meu filho ficou os primeiros quinze dias em nosso quatro até eu perceber “Já me sinto segura para colocá-lo no quartinho dele”. É por aí. A criança vai para o quarto dela quando os pais já se sentem seguros para isso. Pode durar um mês? Pode durar mais? Pode. Especialistas dizem que o bebê não vai ficar mal acostumado. Mas é preciso chegar um momento de deixar mesmo ele dormir sozinho (e nada de luz acesa ou abajur. Bebês não têm medo de escuro). Para essa transição, o ideal é não mudar muita coisa. Se dormem com o ar condicionado, tente deixar a temperatura do quarto dele na mesma que a sua. Se usa ventilador, deixe um ventilador no quarto dele também. Se ele dormia em seu quarto no carrinho, deixe ele no carrinho por alguns dias antes de colocá-lo no berço.

Se sua criança é mais velha e já está acostumada a dormir com você, calma que ainda há jeito! Especialistas dizem que essa adaptação precisa ser lenta. Mostre que está lá no quarto dela aquele bichinho de pelúcia que ela mais gosta. Os primeiros dias serão difíceis. Seu filho pode chorar, ou até berrar. Entre no quarto, fique um pouquinho com ele. Conte uma historinha. Se ao você sair ele chorar novamente, vá lá outra vez. Explique que papai e mamãe não foram embora. Estão ali bem pertinho. E que ele tem o quartinho dele para dormir. Se for o caso, fique por lá até a criança dormir. Com o tempo ela vai se sentir segura em seu cantinho.

Então, agora que você já sabe da importância de cada um ter seu espaço – mas quem vai dizer se isso é mesmo essencial vai ser você – procure mostrar a seu filho que o quartinho dele é legal, que é o espaço dele, com os bichinhos dele, as coisinhas dele. Se ainda é um bebê e ainda dorme em seu quarto, tente não fazer a transição muito tarde. Quando mais velha a criança, mais acostumada ela fica com a presença dos pais para dormir. E isso não é bom nem para ela e nem para você (muito menos para o papai, que quer continuar curtindo a sua esposa). Mas quem mais sai ganhando com isso tudo é seu filho, que precisa se sentir seguro na ausência dos pais. A gente pensa que simples atitudes são bobas, mas são essenciais para o desenvolvimento e formação de nossos filhotes!



1 comentário

  • Daniela

    Olá tenho uma filha de 5 anos e 9 meses e ela não quer dormir sozinha de jeito nenhum, já tentei conversar varias vezes mas ela muda de assunto, e acaba ficando na nossa cama.
    Não sei mais o fazer, sei que isso não esta sendo bom pra e nem nós (casal) mas sinto -me de mãos atadas…

Faça um Comentário

    Topo