sexta-feira 16 de Maio de 2014

É normal adoecer assim?

Categoria(s): ,

Quando eu estava pesquisando sobre os prós e os contras de deixar o bebê em hotelzinho, uma frase de uma das mães que já haviam passado pela experiência me marcou bem: “Se prepare, porque ele vai adoecer muito”. Essa mãe disse que chegou a pensar que havia alguma coisa errada com seu filho, porque não era possível ser normal adoecer assim.

Mas acontece, sim. E quando acontece com o meu filho, além de todos os medicamentos recomendados pelo pediatra, eu acabo levando-o para minha cama. Dorme junto comigo, agarradinho. Tem gente que vai dizer para você não fazer isso para não acostumar mal seu bebê, mas na vida real as coisas nem sempre funcionam como dizem os livros. As exceções existem, e quando eles estão doentinhos, isso é uma exceção.


Na verdade, mesmo que seu bebê fique em casa, com uma babá e com pouco contato com outras pessoas, ele não está livre de ficar doentinho. Essa capacidade de lutar contra as infeções é inata da criança e ela acontece desde o nascimento. Isso contraria muita gente que pensa que os bebês só desenvolvem o seu sistema imunitário quando vão crescendo, mas o problema é que até eles vencerem essa luta, leva tempo. Um estudo da revista “Nature Immunity”, da University of Michigan Health System, nos EUA, mostrou que existem sinais celulares-chave que inibem o crescimento de células imunitárias essenciais no início da vida. Daí, o bloqueio destes sinais pode aumentar a capacidade da resposta à infeção. O que acontece é que essas células só ficam totalmente maduras quando ficamos adultos, por isso os bebês adoecem tanto. Eles são mais suscetíveis às infeções.

Quando se está no berçário, ou logo que a criança entra na escolinha, o contato mais intenso com outras pessoas favorece o risco de contaminação. Por isso eles tentem a adoecer mais. É chato! Incomoda a criança e incomoda a mãe, que fica morrendo de pena do bebê por não ter muito o que fazer e também por comprometer outras boas noites de sono (de ambos!).


Mas não pense, mamãe, que você sabe de tudo. “Ah, é só um resfriado. Vamos dar um remédio que passa”. Não é bem assim. Todo cuidado é pouco com seu bebê e a consulta ao pediatra é sempre indicada. Se seu filho tem uma febre baixinha, que não ultrapasse 38º e sem outro sintoma, certamente tem alguma infecção. Você pode administrar com um antitérmico recomendado pelo pediatra e ficar observando se aparecem outras reações. Se a febre continuar, procure um médico logo.

Quando é dor no ouvido, normalmente você percebe que seu bebê chora e leva a mãozinha ao ouvido. Ele pode ter otite (infecção no ouvido). Ofereça um analgésico (sempre recomendado pelo pediatra!!) e marque uma consulta com o médico pela manhã. Se ele vomitar jorrando longe e não tem nenhum outro sintoma como enjôo e náuseas pode ser sintoma de meningite. Nem preciso dizer, né? Leve imediatamente para uma avaliação médica.


Enfim, muitos outros sintomas seu bebê pode apresentar e as doenças podem ser inúmeras. O que é importante é não ignorar esse sintomas. Uma simples dorzinha de cabeça já incomoda muito o bichinho. Procure sempre um pediatra. Verifique quais os medicamentos recomendados por ele. E, na real, como toda boa mãe faz, se for o caso, dê muito dengo, deixe dormir com você coladinho e encha seu filho de beijos. Isso ajuda.

1 comentário

  • Meu filho mais velho teve várias vezes início de otite, apenas porque ninguém nunca havia me orientado. Simples né? Se alguém tivesse perguntado o motivo da recorrência do caso. .Depois da terceira pu quarta vez na emergência, perguntei a médica porque estava acontecendo com frequência. Ai ela me disse que não pode dar mamadeira ou amamentar a criança deitada. Ao menos uma inclinação mínima

Faça um Comentário

    Topo