sexta-feira 11 de Abril de 2014

Você precisa retomar sua vida

Categoria(s):

Aos que possam interpretar mal o título desta postagem, não me refiro a “retomar sua vida” como algo que exclui o seu filho da jogada. Você teve um bebê, passou meses coladinha nele, mas chega a hora de voltar ao trabalho. Depois percebe que além do trabalho, é hora de voltar à suas demais atividades, como malhar, visitar uma amiga, ir ao shopping, ao supermercado. Ou até a um lazer, como um cineminha com o marido. Enfim. Isso a deixa com um pesinho na consciência porque no fundo acha que deveria estar com seu bebê ao invés de caminhando sozinha no parque? Bem-vinda ao clube! Faz parte. Mas sua vida – aquela que você tinha antes de seu filhote chegar – ela precisa continuar.

A volta ao trabalho é mesmo um pouco traumática. Eu já falei sobre isso aqui. O que me ajudou foi começar a separação uma semana antes de pegar no batente. Passei as tardes fora de casa, resolvendo coisas minhas, e à noite agarrava meu filho morta de saudade! Mas isso amenizou muito a falta que senti dele quando de fato voltei a trabalhar. Mas por enquanto estava sendo “trabalho” e “filho”. Ou seja, nada de pensar em dar um passeio ou fazer qualquer programação sem meu filho! 

Mas a vida precisa ser retomada. Você precisa ter um tempo para si própria, fazer exercício, terminar um trabalho em casa, renovar sua carteira de habilitação, comprar uma lâmpada para aquele quarto que está no escuro faz tempo, enfim. Comecei a voltar a fazer o que precisava ser feito, mas a cabeça ainda fica “Será que o bichinho está sentindo minha falta? Como eu posso ir à academia e deixar meu filho aqui sem mim?”. 

Na real? Vá. Isso é por você e por ele! Seu filho também precisa de um tempo sem a mãe. A psicologia infantil diz que é importante o bebê perceber que a mãe vai e volta. E o sentimento de culpa que a gente fica é normal, viu? Toda mãe – ou quase toda ela – sente isso. Mas a vida precisa continuar, e agora com o seu filho fazendo parte dela. Olha só: é seu filho que faz parte da sua vida e não a sua vida que gira em torno dele, percebe? 

Na prática, é difícil. Meu filho ainda é o meu mundo, e não parte dele. Mas acho que estou começando a conseguir separar as coisas. O negócio é voltar ao trabalho – e voltar com todo o gás – retomar as atividades e ir a um restaurante com os amigos sem o menor peso na consciência. Mesmo retomando tudo, seu filho pode continuar sendo a coisa mais importante de sua vida. E você continuar amando-o da mesma maneira. Mas agora com toda a sua verdadeira rotina – até onde é possível – de volta. E sem peso na consciência, combinado?

Faça um Comentário

    Topo