quinta-feira 13 de Março de 2014

A preocupação não acaba nunca

Categoria(s): , , ,

Eu sei que sete meses é muito pouco tempo para você contabilizar a quantidade de motivos que a fazem deixar preocupada com o seu filho, mas talvez já seja o suficiente para você parar, respirar e dizer: “Poxa, é uma coisa atrás da outra!”.

E é mesmo. Desde que eu estava grávida, choveu de gente para dizer “Você nunca mais terá uma boa noite de sono. Quando seu filho ficar adolescente, basta ele sair de casa para você ficar preocupada e não dormir mais”. Não sei, tenho que chegar lá para contar, mas o tal “não dormir mais” já estou experimentando desde agora.

Não é regra. Há bebês que dormem a noite inteira sem perturbar. Inclusive o meu já foi assim. Mas as coisas mudam, porque há uma série de variáveis que afetam o sono das crianças. Em geral, quando o bebê ainda é recém-nascido, normalmente acorda a cada duas horas para mamar. Aí você não dorme. Depois ele pode acordar algumas vezes de madrugada por conta de alguma cólica, dor ou ainda fome. E você não dorme. Ele vai crescendo e, de repente, pega uma virose, que você não tem certeza se é virose mesmo ou uma alergia ou uma dor de cabeça ou qualquer coisa. E aí você também não dorme. 

Depois começam outras preocupações, como um dentinho que está para nascer, ou a falta de ganho de peso, ou a suspeita de alguma doencinha, ou porque ele está se alimentando mal. Você não dorme e passa o resto do dia pensando nisso. Quando seu bebê está ótimo, sem choro, dor e crescendo bonito e saudável, ele começa a reconhecer melhor a mãe e sentir sua falta. Ou seja, você sai para trabalhar e o deixa com as mãozinhas erguidas para frente querendo seu colo. Aí é bronca! Você não dorme, sai chorando e passa o dia pensando nisso. 

Não para não. São apenas sete meses e as preocupações não acabam! Sempre tem uma dorzinha, ou alguma coisa que incomode o bebê e, mais ainda, a mãe. Ainda há uma série de dentes pela frente e, quem sabe, um resfriado ou outro. Ainda pode ter piolho e uma reação a algum alimento. Ele vai crescer e pode sofrer na adaptação à escola ou ter dificuldade de relacionamento com algum coleguinha. Pode chegar mordido em casa ou ser o mordedor da turma. Faz parte. Mas você não dorme e passa o dia pensando. E assim a gente vai se acostumando. A gente se acostuma a dormir pouco, a resolver tudo e a passar o dia preocupada. A gente se acostuma e acaba se preparando para as noites em claro de quando ele estiver adolescente. Acaba não.

3 Comentários

  • Não é fácil. A gente tem o sonho de ser mãe mais não temos a ideia do que de fato é ser. Só passando pela experiência. Não são todas as mulheres preparadas para tal. Por isso que algumas dizem "Deus me livre de ter outro filho"! Mau começou a maternidade, só por ficarem enjoadas durante a gestação (que de fato é um desconforto mesmo), acham que é a fase mais chata de ser vida, sem ter a

  • Clara

    Just cause it’s simple doesn’t mean it’s not super heplluf.

Faça um Comentário

    Topo