quinta-feira 19 de dezembro de 2013

Como entender cada choro?

Categoria(s):

Nada como conhecer seu bebê e saber se ele está reclamando de fome, de sono ou está apenas inquieto. Mas, independente de você ter essa boa intimidade com seu filho, saiba que existem estudos que identificam cada choro das crianças. É claro que você não vai ficar neurótica tentando lembrar que aquele choro mais estridente quer dizer isso ou aquilo, mas que ajuda, ajuda.

O engraçado é que quase todos os bebês são anjinhos na maternidade. Acabaram de nascer e parecem nem ter forças para se queixarem tanto, mas basta o papai e a mamãe chegarem em casa para saberem como nos deixam aflitos esses sons. Seja uma choramingada ou um grito ensurdecedor, é bom você ir logo sabendo que no início eles choram mesmo, pra valer. E choram tão alto, que ficam sem ar e você pensa que ele vai morrer. Mas relaxa, que o início é uma questão de adaptação mesmo. É a maneira deles de se comunicarem. E fazem isso com todo o fôlego que têm. Às vezes apenas um ventinho frio, que você nem sentiu, é capaz de fazer seu filho se esgoelar.

Mas, passando essa fase de recém-nascido, você começa a entender o que tem por trás de cada choro de seu filho. E vamos ao que dizem os estudos!

É fome?

Quando seu bebê chora alto com certa urgência, um gemido semelhante a um apelo, e nem um beijinho o deixa calmo, já pode ser sim um sinal de fome. Lembre-se qual foi a última hora que ele comeu (mamou). Se for mesmo fome, só vai parar de chorar quando você o alimentar.

É dor?

Se o choro é um grito agudo e inconsolável, seguido de um pequeno intervalo, pode ser que ele esteja sentido alguma dor. Se for cólica, a criança certamente irá esticar e encolher as perninhas, tremer o queixo e fazer cara de dor. As cólicas são normais nos bebezinhos porque costumam ingerir ar durante a mamada. Tente fazer massagens na barriguinha dele. Mas se não passar, não deixe de consultar o pediatra.

É sono?

Na verdade não é bem de “sono” que os bebês choram. Eles choram porque simplesmente estão agitados demais na hora do sono. Os barulhos, luzes e estímulos desconhecidos podem deixar os bebês inseguros, e às vezes é tanto barulho de uma só vez que eles choram. Se o motivo é apenas a agitação, é um choro meloso, que muitas mães pensam ser manha. Mas os bebês não têm manha até completar um ano de idade. Agora, se o choro é um pouco mais nervoso, é sinal de sono mesmo, o que ajuda a identificar com uma coçadinha nos olhos.

É frio?

É normal os bebês chorarem quando estamos trocando sua fralda ou assim que saem do banho. Um choro copioso de desconforto. Eles sentem frio, e muitos choram por conta da sensação de nudez repentina. Cubra-o com a toalhinha. E é sempre bom verificar se a janela está fechada e não tem vento demais correndo. Também podem chorar, da mesma maneira, por conta de calor.

É cocô?

Nem todos os bebês choram por conta de fralda suja, mas se o seu apresentar um chorinho fraco e estridente, pode estar sujinho de cocô ou com muito xixi na fralda.

É falta de colo?

Dengo, sim. Os bebês também precisam de dengo e muitos choram porque querem um colinho de mãe. Não ache que é capricho e não negue carinho e atenção a seu filho. Coloque-o colado em seu corpo e deixe-o sentir as batidas de seu coração. Isso irá tranquilizar seu filhote.

Olha só quanto coisa faz seu bebê chorar. Viu que nem sempre ele está com dor e não há motivo para se desesperar com os berros de seu filho? Então lembre-se que tranquilidade é a palavra mágica para passar sempre segurança às crianças. Ele chorou? Fica calma e vai lá ver qual é o problema. Sem desespero, para não deixar seu filho ainda mais nervoso. Se o choro persiste, procure o pediatra. E, por favor, nunca chore também. A mãe aqui é você. Tem que ser forte porque é dessa segurança que ele precisa.

1 comentário

  • Otávio enganou os pais ao contrário… Chorou muito na primeira noite na maternidade e desesperou os pais aqui que não tinham ideia do que fazer! (e no fim, era fralda).<br />Em casa tem sido um anjinho, quase não chora! Mas os resmungos são constantes, hehe, e também aprendemos a identificar o porque de cada um deles: fome, sono e vontade de ficar perto de papai e mamãe 🙂

Faça um Comentário

    Topo