terça-feira 05 de novembro de 2013

Vai lá e conversa

Categoria(s): , ,

 

Não dormir à noite e ficar acordando a madrugada toda porque seu bebê está chamando é, talvez, o maior problema das mães que acabaram de ter seu filhote. A gente aguenta a rotina, as choramingadas, as trocas de fraldas e a mesmice do dia a dia. Aguenta, sim, até porque o amor que sentimos por esse pequeno que chegou em nossa vida compensa tudo. Mas as tais noites em claro são para tirar a disposição de qualquer uma que precisa estar firme e forte no dia seguinte. Mas, será que é o bebê que não sabe dormir a noite toda? Será que a culpa por ele não estar dormindo bem não é nossa?

É difícil mesmo e a receita não é milagrosa. Por mais que você tenha lido todos os livros ou esteja copiando o método utilizado por aquela sua amiga que não tem uma olheira sequer, basta você não estar tranquila o suficiente na hora de colocar seu filho para dormir que as teorias vão por água abaixo.

Reparou pelo menos na palavra “tranquila”? Esse é o maior segredo para conseguir fazer seu bebê relaxar a noite toda. Já falei sobre isso outras vezes, mas esta semana uma amiga me procurou para saber como faço para meu filho dormir a noite toda antes mesmo de completar três meses de idade. Para começar, não corra para acudir seu bebê sempre que ele chora. Calma aí, não estou sugerido que você o deixe chorando sozinho, apesar de a técnica ser defendida em alguns livros especializados. Mas eu adoto o seguinte método: meu filho chora, eu vou lá e converso com ele. Não preciso tirá-lo do berço ou carrinho ou bebê-conforto ou onde quer que esteja. Ele tem que entender que não precisa ser acudido. Eu pergunto o que foi, digo que está tudo bem e que não tem motivo para chorar.

Agora, saiba que pode fazer diferença a maneira como você fala. Eu converso com muito carinho e falando baixinho, mas sem fazer manha. Ou seja, evite chegar dizendo “Ôôôôôô, filho, o que foooooooooi?”. Seu bebê não precisa que você tenha pena dele, ele só precisa que você resolva o problema, que pode ser fome, uma fralda suja, sono ou até uma cólica, uma dorzinha. Mas evite a manha.

Especialistas dizem que os pais precisam ter a voz firme – não é ser duro ou rude com a criança, é falar com carinho, mas com firmeza – para passar segurança. Os bebês devem perceber que seus pais sabem o que estão fazendo e vão resolver qualquer problema que apareça. E é isso que fazemos desde que nosso filho nasceu.

De acordo com a pediatra Renata Souza, formada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), deve-se evitar tirar o bebê do berço por “qualquer choro”, pois é preciso lembrar que não é apenas a fome que o faz chorar. “Não sinta-se culpada por acalmá-lo no próprio berço, pois com isso você estará criando uma rotina do sono que irá ajudá-la durante os primeiros anos da criança”, explica a pediatra, que ainda orienta: “É importante criar um ambiente calmo e uma rotina para o sono do bebê desde o início. Após amamentá-lo, esperar em torno de 30 a 40 minutos e logo após colocá-lo novamente no berço”. Renata diz ainda que músicas de ninar podem ser úteis nesse momento e o ideal é que somente uma pessoa esteja com o bebê no quarto.

Confesso que, no início, eu tinha pena de cada chorinho dele e me via dizendo “Ôôôôôô, filho…”. Quando percebi que ele começou a responder também com manha, fazendo “Uuuuuu…” e me olhando com cara de choro, eu parei. Mas a técnica de “não acudir quando ele chora” tem dado muito certo. Hoje, com três meses, nosso bebê acorda e fica super bem resolvido dentro do berço conversando com os desenhos do quarto. Quando a gente se aproxima, conversa com ele, que já abre um sorriso. O importante é ele entender que estar em seu berço não é desconfortável. Se a gente o tira quando chora, ele pode entender que ficar no berço é mesmo ruim, “tanto é que papai e mamãe me ajudam a sair de lá quando eu choro”. Percebe isso?

Então passe essa tranquilidade para seu filho. Se ele já está grandinho e você sempre o tirou quando ele chora, tente conversar um pouco antes de acudi-lo. Ele vai chorar mais alto que sua voz e você vai pensar que ele sequer está te ouvindo, mas ele percebe que sua mãe está ali, toda tranquila, falando com calma. Com o tempo, vai entender que não há mesmo motivo para chorar. Vá lá e converse! Isso é muito importante para que seu filho se torne uma criança segura. Certamente ele vai se acostumar e passar a dormir melhor à noite. E você também.

Faça um Comentário

    Topo