quarta-feira 25 de setembro de 2013

Com que roupa?

Categoria(s): ,

 

Às vezes penso “Ainda bem que não tive uma menina, se não iria encher a coitada de lacinhos e fitinhas e tudo mais”. Brincadeiras à parte, lembre-se que se seu bebê ainda é muito novinho, poupe o pequeno de tanta parafernália na hora de se vestir. Além de poder irritar sua pele, ele sente mais frio ou mais calor do que o que estamos acostumados. Então, fica atenta às roupinhas certas para a idade certa.

Muitas mães (e pais – não sejamos injustos) vão às lojas e compram as roupas para seus filhos observando apenas duas coisas: beleza e preço. No máximo percebem que a roupinha é um pouco mais macia que outra. Estou errada? Quantas pessoas avaliam se o tecido é apropriado, se a golinha é apertada demais para o pescoço da criança, se o botão vai machucar ou ainda se existem pecinhas que podem se soltar e a criança pode engolir? Pois bem, quando compramos roupas para nós, costumamos experimentar e sentir se ficou legal. O bebê não vai provar a roupa e, ainda que o faça, não vai te dizer “Mãe, se toca, esse velcro vai me arranhar”. É você que precisa perceber isso.

Mas o assunto vai além. Antes de querer exibir seu filhote com a marca da moda, lembre-se que as roupinhas devem ser antes de tudo confortáveis. Mais: seguras e adequadas às necessidades específicas que vão surgindo de acordo com a idade. Vamos aqui falar dos recém-nascidos.

Nos três primeiros meses, a pele do seu filho é muito fininha e pouco resistente. Os vasinhos sangüíneos ainda não estão completamente desenvolvidos, fazendo com que o bebê não consiga regular sua temperatura corporal. Segundo pediatras, você sabe que o bebê sente frio quando as mãos ou os pés estão frios. Se estiverem cobertos, experimente tocar na ponta do nariz ou nas orelhinhas. Estando frias, agasalhe melhor seu filhote.

Para essa idade, utilize roupinhas de corte largo e procure evitar enfeites, zíperes, capuz, botões ou ganchinhos nas costas. Os pequenos passam muito tempo deitados e qualquer botãozinho nas costas vai incomodar. As golas não devem ser apertadas, para facilitar na hora de colocar e tirar a roupa. São mais indicadas roupas com botões de pressão ou velcro nas laterais ou no ombro. E prefira fibras naturais, como malhas feitas com 100% de algodão, para facilitar a transpiração da pele, além de evitar irritações ou reações alérgicas. É o batizado da criança e ela precisa estar impecável? Nada de linho, porque também é muito áspero para essa idade. E mesmo que seja uma menina e que a mamãe seja descolada demais para colocar roupas tão básicas, evite plumas e tecidos felpudos, como veludos e moletons. Nada que solte fiapos e que possam provocar alergias. E quando chegar o Carnaval, por favor, sem lantejoulas ou aqueles panos que ficam roçando na pele.

Para as mães que têm a oportunidade de fazer o enxoval fora do país, é bastante comum para os recém-nascidos o pima cotton, um algodão peruano, bem macio. Vende-se muito nos Estados Unidos, mas quando se compra roupa lá fora, é preciso lembrar que nosso inverno é diferente. Lembre-se de escolher roupas adequadas para a temperatura local e não trazer roupas quentes demais. Especialistas dizem que durante o dia, em nossos dias quentes no Brasil, o bebezinho pode ficar apenas de body, sem manga. Sobre o uso de luvas e meias, converse com o pediatra de seu filho e veja o que ele recomenda.

Essas dicas são para recém-nascidos. Mas se seu filhote é mais velho, no próximo texto vamos falar das roupinhas para esses pequenos crescidos.

Faça um Comentário

    Topo