domingo 25 de agosto de 2013

Vamos passear?

Categoria(s): , ,

Apesar do cansaço e da vontade de dormir nos minutos que sobram – quando seu bebê está dormindo ou pelo menos quietinho sem reclamar – a vontade de sair um pouco de casa, ver os amigos e conversar com outras pessoas se torna uma necessidade em poucos dias. Na primeira semana – eu diria até que nos primeiros quinze dias – você só vai pensar em descansar. E nem vai querer receber ninguém em casa. Mas, principalmente para quem tem uma vida um pouco mais agitada, passado esse tempo, você vai se ver desesperada para mudar um pouco a rotina.

 

Acredite, sair para fazer os exames do bebê (teste do pezinho, da orelhinha, do olhinhos e vacinas) torna-se um passeio e tanto. Sair um pouco de casa, ver a rua, ver gente, trocar duas palavras com outras pessoas, isso é necessário. Mas é preciso lembrar que seu filho ainda é muito novinho. Na verdade, de acordo com pediatras, não existe uma recomendação exata sobre quando se pode sair com o bebê recém-nascido, mas o importante é ao menos evitar aglomerados e lugares com ar-condicionado. O problema são as infecções, porque seu filho ainda não tomou todas as vacinas necessárias (o que deve acontecer com seis meses de idade). Evite que as pessoas peguem na criança, mas caso seja preciso, ainda assim, peça para elas lavarem as mãos antes.

 

Passeios ao ar livre e casas de parentes (sem festas e evitando muita gente) são os locais mais apropriados. Até os 4 meses, os bebezinhos podem ter complicações se pegarem doenças respiratórias causadas por vírus (como gripes, resfriados e bronquiolite) ou infecções provocadas por bactérias (pneumonia e meningite). Por isso, é importante evitar as aglomerações. Tente esperar ao menos ele chegar aos quatro meses para ir ao shopping ou supermercado (e isso se for mesmo necessário. Podendo evitar, melhor).

A verdade é que esse passeio, no início, é muito mais por você. É você que já não aguenta mais ficar em casa fazendo e ouvido as mesmas coisas. Converse com o pediatra de seu filho. Procure saber o que já pode ou não fazer. Caso não seja a hora ainda de colocar os pés para fora, chame as pessoas para sua casa. Convide uma amiga, um parente. De vez em quando, vá almoçar na casa de sua mãe ou de uma tia. Evite muita exposição de seu bebê, mas não enlouqueça trancada dentro de casa.

A malinha

 

Vai sair? Não deixe de levar tudo que é necessário na mala do seu bebê. Segue aqui a listinha do que é essencial

– Fraldas descartáveis

– Duas mudas de roupa para troca completa

– Lenços umedecidos

– Pomada para assaduras

– Mamadeira (se não estiver amamentando)

– Fraldas de algodão

– Trocador (normalmente as malas de bebê já vêm com o trocador)

1 comentário

  • Eu tambem levava na bolsa de Olivia uns sacos plasticos vazios, para colocar fralda suja depois de trocar. Porque as vezes cheia mal e eh meio chato botar no lixo na casa das pessoas, se vai fazer subir aquele cheiro ne?

Faça um Comentário

    Topo