sexta-feira 30 de agosto de 2013

Os reflexos do bebê

Categoria(s): , ,

No início de vida de seu filho é possível você se emocionar porque ele apertou seu dedo como quem pede proteção. Mas na verdade isso nada mais é que um reflexo natural. Da mesma maneira, se você bater palmas perto do rostinho do bebê ele vai piscar forte os olhos.

Os movimentos por reflexo acontecem ainda dentro da barriga da mamãe, entre as semanas 28 e 35, com a sucção. Quando ele nasce, se você colocar algum objeto em contato com a boca do bebê, ele tem a reação de abrir a boca em direção ao objeto. É por isso que, mais tarde, as chupetas são tão “milagrosas” para fazer parar o choro da criança. É o movimento de sucção que a acalma. Esse movimento passa a ser voluntário depois que o bebê chega aos dois meses.

Os reflexos são testados ainda na maternidade. Os cérebros dos bebês, assim que nascem, pesam entre 300 e 400 gramas, quase quatro vezes menos que o de um adulto. As células nervosas estão cobertas por mielina, responsável pela transmissão de impulsos nervosos do cérebro para o corpo.  Esse processo de cobertura (a chamada mielinização) começa no segundo trimestre de gestação, atinge seu período mais intenso quando a criança tem 8 meses e continua até ela completar um ano de vida. Então, o cérebro está em desenvolvimento.

Você pode perceber a partir do terceiro mês que seu filho já consegue fazer alguns movimentos voluntários, como sustentar o pescoço. Isso acontece porque o amadurecimento da medula ocorre no sentido da cabeça aos pés. Até o quinto mês de vida, mais ou menos, o reflexo chamado de Moro ainda permanece. É quando a criança, sentindo-se desequilibrada ou assustada, estica braços e pernas e joga a cabeça para trás. Isso desaparece depois do segundo ou terceiro mês. Depois do sexto ou sétimo mês, já melhora a conexão entre cérebro e corpo.

 

Na chamada marcha reflexa, quando você segura o bebê pelas axilas, colocando-o em pé, ele ergue uma perna dando a impressão de estar andando. Esse ocorre bem no início. Some até o fim do primeiro mês.

 

Aquele reflexo de agarrar o dedo da mãe com força é chamado preensão palmar. Ocorre com as mãos e com os pés (pressão planar – a criança estica todos os dedinhos quando se aperta a sola de seu pé) e desaparece por volta do terceiro mês, no caso das mãos, e no sétimo ou oitavo mês o reflexo nos pés.

 

No exame do reflexo tônico-cervical, com o bebê deitado, o médico gira a cabeça do bebê para o lado e ele tende a estender este braço e dobrar o outro. A chamada posição de esgrimista desaparece no terceiro mês. E outro movimento também inconsciente é o de engatinhar, que ocorre até o quinto mês. Com a criança de bruços, você dá um apoio nos pés e ela estica as pernas, como se tentasse rastejar.

Existem outros menos importantes, como a reação de movimentar braços e pernas como quem quer nadar quando se apóia o peito dele na água. Há ainda o reflexo de galant, quando se deita o bebê de barriga para baixo e, passamos-lhe os dedos pelos rins, paralelamente à coluna vertebral, ele curva seu corpo para o lado onde é testado.

2 Comentários

  • Oi Sarah, <br /><br />Descobri seu blog através de uma amiga minha.<br />Incrivel, temos a mesma idade e descobri que estava grávida na mesma época que vc. Minha filhota deve nascer semana que vem. <br /><br />Parabéns pelo seu filho, ele é lindo!<br />Chorei mto quando vc descreveu o dia que ele nasceu. Hormonios. <br />rsrs <br /><br />É mta informação, é todo mundo dando dicas, todo mundo

Faça um Comentário

    Topo